Criado em 20 Agosto 2014
 

A vitamina K é lipossolúvel e se divide em k1, k2 e k3. A vitamina K1 é encontrada em alimentos de origem vegetal, a k2 é produzida pela nossa flora intestinal e a k3 é produzida em laboratório. Esta última versão é utilizada nos suplementos e é bem absorvida pelo organismo. 

A vitamina K é essencial para o organismo. Ela ajuda na coagulação sanguínea, contribui para a saúde dos ossos e pode ser utilizada em bebês prematuros. 

 
 

Benefícios comprovados da vitamina K

Ajuda na coagulação sanguínea: A vitamina K é essencial no processo de coagulação sanguínea. Isto porque ela ajuda as proteínas a se transformarem em substâncias que contribuem para a coagulação correta do sangue. Por isso, esta vitamina também contribui para melhor cicatrização.  

Boa para os ossos: A vitamina K é importante para a saúde dos ossos porque ajuda na fixação do cálcio nos ossos. A vitamina B, o fósforo e o magnésio também ajudam na fixação. É importante lembrar que o cálcio no organismo ajuda na construção e manutenção da estrutura dos ossos e dentes. Em casos de osteoporose relacionado à menopausa uma leve suplementação com vitamina K pode ser prescrita pelos médicos. 

Boa para prematuros: No caso de bebês prematuros a suplementação com vitamina K pode ser interessante porque crianças que nascem antes do tempo correm maior risco de ter hemorragia espontânea e a vitamina ajuda a prevenir o problema. Alguns estudos estão sendo realizados sobre se a suplementação com vitamina K pode ser realizada para todos os recém-nascidos, porém ainda não se chegou a um consenso. 

Benefícios em estudo da vitamina K

Contribui para a saúde dos vasos sanguíneos: Algumas pesquisas apontam que a vitamina K também contribuiria para a saúde dos vasos sanguíneos. Afinal, a elasticidade e complacência dos vasos precisa estar correta para que eles consigam aceitar a pressão sanguínea sem se romper. Estudos já mostram que a vitamina K ajuda na elasticidade dos vasos sanguíneos e outros concluíram que a ausência de vitamina K leva a problemas nos vasos, mas ainda são necessárias mais pesquisas para comprovar o benefício. 

Devido à este benefício, a vitamina K também ajudaria a prevenir a aterosclerose, doença cardíaca coronária (DCC) é o estreitamento dos pequenos vasos sanguíneos que fornecem sangue e oxigênio ao coração. 

Deficiência de vitamina K

É difícil ocorrer a deficiência de vitamina K. Isto porque ela está presente em diversas fontes vegetais e ainda é produzida no próprio organismo. Contudo, caso ocorra, ela normalmente é identificada por meio de um exame de sangue. As principais complicações da deficiência de vitamina K são problemas de coagulação sanguínea e perda da qualidade óssea. Pessoas que mais correm riscos de desenvolver deficiência de vitamina K são aquelas que passaram por uma cirurgia bariátrica e que tomam medicamentos que dificultam a absorção de gordura. 

Interações

As vitaminas A, E, D e K são lipossolúveis, por isso, quando qualquer uma delas é absorvida em grandes quantidades, pode atrapalhar a absorção das outras. Além disso, a vitamina K em excesso pode interferir no efeito de medicamento anticoagulantes. Existe a possibilidade desta vitamina em grandes quantidades interagir com medicamentos anticonvulsivos. 

Combinações da vitamina K

Vitamina K + cálcio = Para que a vitamina K consiga proporcionar benefícios para os ossos é importante ingerir fontes de cálcio. Assim, a vitamina K poderá ajudar os ossos a fixarem melhor o cálcio. 

Fontes de vitamina K

A vitamina K pode ser encontrada em diferentes alimentos. Boas fontes dela são o brócolis, couve-flor, o agrião, a rúcula, o repolho, o nabo, a alface, o espinafre e outros vegetais verdes. É preciso ingerir apenas 50 gramas destes vegetais para ter a quantidade diária recomendada de vitamina K. Os óleos vegetais, como o azeite, também contam com o nutriente. As oleaginosas, o abacate, o ovo e o fígado também possuem boas quantidades de vitamina K. 

Quantidade recomendada de vitamina K

Para adultos a orientação é não passar de 25 mg dia, no caso de mulheres que amamentam é orientação é até 10 mg dia. Entre crianças a conta é um micrograma para cada quilo de peso. 

Uso dos suplementos de vitamina K

O suplemento de vitamina K geralmente não é necessário, pois o nutriente é facilmente obtido na alimentação e também é produzido pelo próprio organismo. Normalmente, ele é orientado para recém-nascidos prematuros ou pessoas com dificuldade de absorção de gorduras, como aquelas que passaram por uma cirurgia bariátrica e que tomam medicamentos que dificultam a absorção de gordura. Antes de ingerir os suplementos de vitamina K é importante consultar um médico especialista ou um nutricionista. 

Riscos do consumo em excesso de vitamina K

É muito difícil ingerir vitamina K em excesso por meio da alimentação. As grandes quantidades ocorrem por meio da suplementação mal orientada e podem hiperestimular a coagulação sanguínea e aumentar o risco de trombose. Por isso, é essencial consumir o suplemento de vitamina K somente após orientação do nutricionista ou médico nutrólogo. 

 

 

 
Criado em 14 Agosto 2014

Os cérebros dos bebês recém-nascidos crescem mais rápido do que se pensava, atingindo metade do tamanho de um adulto ainda nos primeiros três meses de vida. Essa é a principal conclusão de um estudo publicado na revista “JAMA Neurology”. A descoberta pode ajudar a identificar sinais precoces de transtornos de desenvolvimento cerebral, como o autismo.

A pesquisa inovou ao escanear o cérebro com maior grau de precisão. Durante séculos, médicos acompanhavam o crescimento do órgão usando fita métrica, para traçar a circunferência da cabeça de um bebê ao longo do tempo.

No entanto, valendo-se de técnicas avançadas de digitalização, os pesquisadores da Universidade da Califórnia mapearam 87 bebês saudáveis desde o nascimento até três meses. Eles viram as mais rápidas mudanças imediatamente após o nascimento: os cérebros de recém-nascidos cresceu a uma taxa média de 1% por dia, caindo para 0,4% por dia no final do período de 90 dias.

Mas o crescimento não foi homogêneo para as todas as partes do cérebro. O cerebelo, uma área do cérebro envolvida no controle do movimento, teve a maior taxa de crescimento, dobrando de tamanho ao longo do período de 90 dias. Por outro lado, a região mais lenta no desenvolvimento foi o hipocampo, uma estrutura que desempenha um papel importante no modo como as memórias são feitas.

Além disso, os pesquisadores constataram que cérebros dos meninos cresceram mais rapidamente do que o das meninas.

A gravação da trajetória de crescimento normal das partes individuais do cérebro pode ajudar a compreender melhor como surgem cedo transtornos no órgão. E o próximo passo dos cientistas agora será investigar se o álcool e o consumo de drogas durante a gravidez altera o tamanho do cérebro no nascimento.

Estudo mostra que cérebro de bebês cresce mais rápido do que se pensava Foto: Paula Giolito / Agência O Globo

O Globo

 
Criado em 11 Agosto 2014

Apesar de ser pequena, a glândula da tireoide é um órgão essencial para o bom funcionamento do nosso organismo. Nela são produzidos os hormônios T3 e T4, responsáveis por manter nossas células dentro dos eixos e acompanhar todas as funções do corpo. E é por isso que os problemas da tireoide - como o hipertireoidismo e o hipotireoidismo - causam sintomas em diferentes órgãos. Segundo dados do Instituto da Tireoide, 15% da população acima de 45 anos sofre de problemas na tireoide. Mais comum no sexo feminino, os problemas da tireoide afetam cerca de 10% das mulheres acima de 40 anos e em torno de 20% das que têm mais de 60 anos, de acordo com a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia. Além disso, a sociedade estima que 60% da população brasileira terá nódulos na tireoide em algum momento da vida, sendo que apenas 5% deles são cancerosos. Por seus diferentes sintomas, é comum que pessoas com problemas na tireoide suspeitem de outras doenças, demorando a pesquisar o problema corretamente. Confira as explicações dos especialistas e entenda os sinais que o corpo manda, dizendo que sua tireoide não está bem: 

mulher deitada na cama - Foto: Getty Images

 

Falta ou excesso de energia

Os hormônios da tireoide são responsáveis pelo nosso metabolismo basal - eles estimulam nossas células a trabalharem e garantem que tudo funcione corretamente em nosso corpo. Quando produzimos esses hormônios em excesso (hipertireoidismo), o metabolismo passará a funcionar de forma acelerada. É como se fossemos uma máquina a vapor que está recebendo mais carvão que o normal, passando a trabalhar rapidamente. "Isso deixará o paciente muito agitado e com episódios frequentes de insônia, já que seu metabolismo estará constantemente acelerado, causando essa disposição constante", diz o endocrinologista Mauro Scharf, do Laboratório Exame, em Brasília. "Quando a tireoide não está produzindo quantidade suficiente de hormônios (hipotireoidismo), o metabolismo fica mais lento, e como resultado temos o cansaço excessivo, com o paciente dormindo mais do que o normal."  

homem com calor - Foto: Getty Images

Percepção de calor e frio alterada

Quando sentimos frio, nosso cérebro estimula a liberação dos hormônios da tireoide, justamente para que o metabolismo se acelere e o corpo, por consequência, fique mais quente. E esse processo também pode acontecer no sentido inverso: "no hipotireoidismo é comum que a pessoa tenha mais frio que o normal e no hipertireoidismo sofra mais com o calor, justamente porque seus metabolismos estão lento ou acelerado demais, ficando constantemente com a temperatura corporal mais baixa ou alta", afirma a endocrinologista Gisah Amaral de Carvalho, vice-presidente do departamento de Tireoide da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) e presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia regional do Paraná. 

homem no banheiro - Foto: Getty Images

Problemas intestinais

O funcionamento correto do metabolismo também interfere na eficiência de nosso trânsito intestinal - e os hormônios da tireoide não poderiam ficar de fora. "Uma pessoa com hipotireoidismo fica com o intestino mais lento, e portanto é comum a prisão de ventre", afirma o endocrinologista Mauro. "No caso do hipertireoidismo, há um aumento do trânsito intestinal devido ao rápido funcionamento do metabolismo, levando a um maior número de evacuações e até mesmo diarreia", completa Gisah Amaral de Carvalho. 

balança - Foto: Getty Images

Alterações no peso

O hipotireoidismo pode causar uma alteração nas concentrações de sódio e água do organismo - também chamado de desequilíbrio eletrolítico - levando à retenção de líquidos. "Isso acarreta no aumento de até 10% do peso corporal total", afirma a endocrinologista Gisah. "Já no hipertireoidismo ocorre perda de peso, porque um metabolismo acelerado aumenta o gasto calórico", completa. Segundo a especialista, as duas condições se normalizam quando é feito o tratamento adequado.  

mulher se olhando no espelho - Foto: Getty Images

Inchaços pelo corpo

"Assim como a retenção de líquidos do hipotireoidismo causa aumento de peso, ela também pode dar sinais na forma de inchaço, principalmente nas áreas do rosto e nas extremidades do corpo, como mãos e pés", explica Mauro Sharf.  

homem suando - Foto: Getty Images

Pele seca e sudorese excessiva

Com o aumento do metabolismo e da temperatura corporal causado pelo hipertireoidismo, o organismo tende a suar mais que o normal, como se a pessoa estivesse sempre muito ativa, ainda que parada. "Enquanto no hipotireoidismo, as baixas taxas metabólicas interferem na boa lubrificação da pele, deixando-a com um aspecto mais seco", diz o endocrinologista Mauro.

homem com um coração desenhado na camiseta - Foto: Getty Images

 

Taquicardia e tremores

Quando sofremos um susto ou estresse acentuado, nosso corpo entra em estado de alerta, aumentando os batimentos cardíacos e gerando uma descarga de adrenalina, que causa tremores em nosso corpo. E os hormônios da tireoide são os responsáveis por causar essas reações. "No hipertireoidismo ocorre um estímulo excessivo, que aumenta os batimentos cardíacos e a resposta à adrenalina constantemente, ocasionando os tremores e a retração palpebral (olhar assustado)", afirma a endocrinologista Gisah.  

mulher segurando um termômetro - Foto: Getty Images

Febre e dificuldade para engolir

Pode ser que você sofra uma inflamação no órgão (tireoidite), gerando sintomas como dificuldades para engolir (por conta do inchaço) e febre moderada. "É um quadro incômodo, porém sem gravidade na maioria dos casos", diz a endocrinologista Roberta Frota, do Hospital 9 de Julho, em São Paulo. "No entanto, se a febre estiver acompanhada de outros sintomas comuns do hipertireoidismo, o paciente pode estar com uma manifestação mais severa da doença, devendo procurar ajuda de um especialista."  

exame de tireoide - Foto: Getty Images

Tumores na tireoide

câncer de tireoide ou tumores benignos na tireoide no geral não apresentam sintomas, sendo identificados apenas com exame médico. A Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia recomenda que as pessoas tenham o hábito de realizar o autoexame em casa, principalmente quem tem casos de alterações ou problemas na tireoide na família. Vale lembrar que o procedimento é um método de alerta para levantar uma suspeita no paciente, mas de maneira alguma serve como diagnóstico ou substitui uma consulta médica. Confira o passo a passo do autoexame a seguir.

1. Segure o espelho e procure no seu pescoço a região logo abaixo do Pomo de Adão - é nesse local que se encontra a tireoide.
2. Estenda a cabeça para trás para que esta região fique mais exposta, mantendo-a no foco do espelho.
3. Beba um gole de água e engula. Nesse ato, a tireoide sobe e desce.
4. Observe se há algum nódulo ou protuberância na sua tireoide, lembrando sempre de não confundi-la com seu Pomo de Adão. Repita este teste várias vezes até ter certeza.
5. Caso encontre alguma alteração, procure seu endocrinologista. 

 

 
Criado em 04 Agosto 2014

A alimentação se tornou uma grande preocupação da humanidade nas últimas três décadas. Com a nova onda fitness, propagada também na internet por blogueiras, fazer exercícios físicos com frequência e manter uma dieta rigorosa se tornou mais que um simples interesse em manter um corpo bonito, virou um estilo de vida.

Não é preciso ser tão rígida quanto as musas do mundo da malhação, mas é possível aprender com elas que com determinação é possível mudar a alimentação para melhor, deixando para trás as frituras, gorduras e tudo o que faz mal em exagero. Investir em legumes, verduras e frutas é a chave para uma vida mais saudável e uma dieta rica em nutrientes.

E encontrar alimentos que devem ser ingeridos todos os dias é mais fácil do que se imagina. É só ir ao supermercado ou à feira do eu bairro que você encontrará todos os nutrientes de que precisa para viver bem. E engana-se quem pensa que uma boa dieta custa caro.

A nutricionista Sabrina Lopes confirma que não é preciso ter muito dinheiro para comer melhor. “Se alimentar bem não custa caro, os alimentos básicos como arroz, feijão, frangos, peixes, verduras, legumes, frutas e ovos são os principais produtos saudáveis que devemos incluir na nossa dieta, e são encontrados com preços bem acessíveis”.

Quer começar a se alimentar melhor agora mesmo? Então veja a seguir as dicas das nutricionistas Sabrina Lopes e Fernanda Machado Soares sobre quais alimentos deveriam ser ingeridos todos os dias.

1. Água

O consumo diário deve ser de 2L de água ou de 8 copos do líquido. A ingestão ajuda na hidratação do corpo, na eliminação de toxinas e funcionamento do intestino. Se você ainda tem dificuldade de se lembrar de beber água durante o dia, deixe sempre uma garrafa do tipo squeeze do seu lado e quando acabar, pegue mais água.

Há também aplicativos de celular que emitem alertas para ingerir o líquido com mais frequência.O app Beba Água Alarme está disponível para Android de forma gratuita na Play Store.

2. Água de coco

Um copo de 200ml de água de coco natural oferece 500 mg de potássio, 200 mg de sódio e apenas 44Kcal. Esse líquido é riquíssimo em vitamina C, e atua como um repositor de substâncias eliminadas através do suor e da urina. É um excelente hidratante, mas deve ser consumido com cautela por pessoas que sofram de pressão alta ou problemas renais.

3. Azeite de oliva extra-virgem

Embora seja muito calórico, o azeite é um grande aliando se consumido com cuidado. O ideal é consumir uma colher de sopa no almoço e outra no jantar. O óleo oferece ainda quatro vitaminas consideradas fundamentais, A, D, E e K.

Além da função antioxidante, que combate o envelhecimento celular e os danos causados pela poluição e estresse, ele protege o coração de infartos e o cérebro, de derrames. Um estudo americano apontou o azeite como analgésico natural e anti-inflamatório, onde 50g do óleo, equivalem a 1 décimo da dose de ibuprofeno.

4. Iogurte

O iogurte é um ótimo alimento para ser consumido em jejum pela manhã. Fonte de bactérias benéficas a saúde do intestino, além de melhorar o trânsito intestinal, o alimento também reforça a imunidade. Rico em proteína e em cálcio, esse derivado do leite contribui para saúde óssea e firmeza da pele.

5. Aveia

Um dos primeiros alimentos a receber o título de funcional, a aveia fornece substâncias essenciais ao organismo. É uma alternativa saudável para quem deseja reduzir o colesterol e os níveis de açúcar no sangue. O ideal é consumir 3 colheres de sopa de aveia em flocos ao longo do dia.

O alimento contém uma fibra chamada betaglucana, que após fermentar no intestino grosso, é responsável por moléculas que atuam no combate a micro-organismos nocivos a saúde. Também é rica em zinco e silício, elementos que auxiliam noaumento da imunidade do corpo, na formação de espermatozoides saudáveis e na produção de colágeno.

6. Castanha-do-Pará

A castanha do Pará ou castanha do Brasil é uma oleaginosa riquíssima em selênio, ou seja, um mineral que além de atuar como forte antioxidante, também melhora a saúde da tireóide. Contêm bastante vitamina E, cálcio e magnésio, sendo indicada para prevenir doenças ósseas, articulares e musculares. Deve se consumir no máximo 3 unidades ao dia.

7. Cenoura

A cenoura possui betacaroteno, um elemento que se transforma em vitamina A no organismo. Ela é também importante para manter o intestino funcionando por seu alto teor de água, a cada 100 g de cenoura, 92 g são de água. Por isso e por conter vitamina A, ajuda também o fígado a limpar as toxinas do corpo, a prevenir doenças relacionadas aos olhos e a estimular o sistema imunológico. Os betacarotenos auxiliam ainda a manter o bronzeado e a beleza dos cabelos.

8. Pães e massas integrais

A massa integral costuma ser feita com a farinha deste tipo, por isso é melhor do que a massa feita de farinha branca. O maior benefício é que os grãos incluídos nestes alimentos possuem fibras, que dão uma sensação maior de saciedade ao cérebro. Elas evitam a sensação constante de fome ou a necessidade de comer mais do que o indicado. Antes de comprar, analise bem o rótulo do produto para saber se ele é mesmo integral e cumpre o que promete.

9. Carnes magras

Não é porque você deseja emagrecer ou manter uma alimentação saudável que precisa retirar a carne – até mesmo a carne vermelha – da sua dieta. Segundo a nutricionista Sabrina, a carne magra é uma ótima opção, pois é fonte de proteínas, ferro e vitamina B12, que é fundamental para a formação das células vermelhas do sangue.

Carnes magras são aquelas que possuem os menores teores de gordura. Entre as vermelhas, as mais magras são as que não possuem capa de gordura ou que são facilmente retiradas como: lagarto, filé mignon, coxão duro, coxão mole, alcatra, patinho, músculo e maminha. Ao preparar, prefira cozinhar, assar ou grelhar com pouco sal. Assim, você evita a fritura e continua com uma alimentação saudável.

10. Peixe

Dentre as carnes magras, o peixe é uma das melhores. E consumi-lo com frequência também é uma ótima dica. Peixes são boas fontes de vitamina B12, ferro, cálcio e ômega 3. Ômega 3 é uma gordura que os peixes carregam, que faz bem, pois aumenta o colesterol bom. Eles ajudam também a prevenir doenças cardiovasculares. A sardinha, o peixe filhote e a pescada amarela são alguns dos mais contém este elemento tão importante. As melhores maneiras de consumo dos peixe são: grelhados, cozidos ou assados.

11. Frutas cítricas

São muitas as opções de frutas cítricas disponíveis no mercado, entre elas estão: laranja, limão, tangerina, abacaxi, romã, jabuticaba, lima e muitas outras. O melhor motivo para comer ao menos uma fruta cítrica por dia é a quantidade de vitamina C que elas carregam.

A vitamina não é capaz de curar doenças, como muitos pensam, e sim de fortalecer o sistema imunológico. Ela também auxilia na absorção, do ferro, algo importante para evitar a anemia. Além disso, as frutas possuem fibras até mesmo na parte branca do alimento.

Possuem também antioxidantes, que são fundamentais para combater a ação do envelhecimento. Ou seja, as frutas cítricas oferecem muitos benefícios e para a nutricionista Sabrina Lopes, o ideal é consumir pelo menos uma por dia.

12. Vegetais verde-escuros

Vegetais como espinafre, agrião e couve são fundamentais para a dieta diária das pessoas.

Espinafre: o espinafre, por exemplo, é fornecedor de ferro, fósforo, cálcio e vitaminas A e B. Ele faz bem inclusive para diminuir e controlar a pressão arterial, minimizar a acne e aumentar a imunidade.

Agrião: rico em vitamina B, é o tipo de alimento que ajuda a aliviar a TPM, o estresse e a depressão. Por também possuir vitamina A, faz bem para a pele, olhos, cabelos e unhas. Tem também vitamina K, que ajuda na formação e fortalece os ossos.

Couve: além de possuir as mesmas vitaminas que o agrião e o espinafre, a couve possui também o poder anti-inflamatório e contém magnésio, um aliado para fixar o cálcio no corpo, poder este que o leite de vaca não possui, embora também carregue os elementos citados anteriormente. O magnésio ainda controla a pressão arterial e a ação dos hormônios.

Por que se preocupar com a alimentação?

Além de manter um peso saudável, com uma dieta balanceada, a mulher trabalha a saúde de dentro para fora. Assim fica mais fácil evitar doenças ligadas à má alimentação, que prejudicam tanto o lado físico como o mental.

Obesidade, diabetes, hipertensão, colesterol alto, bulimia e anorexia são apenas algumas das enfermidades ligadas à maneira como as pessoas se alimentam. Mas a maioria delas pode ser evitada ou ao menos controlada comendo os alimentos certos.

A nutricionista Sabrina Lopes explica quais as maiores vantagens de ter uma alimentação correta: “Uma nutrição adequada é capaz de trazer inúmeros benefícios como: diminuir do estresse e ansiedade, prevenir o desenvolvimento de doenças crônicas como diabetes, hipertensão e problemas cardiovasculares, evitar o ganho de peso, auxiliar no combate de doenças e também contribuir no desenvolvimento de todas as etapas da vida como gestação, infância, adolescência e envelhecimento”.

Além de se sentir mais disposta e de ficar com a saúde em dia, ao se alimentar bem o corpo sente as mudanças. O cabelo fica mais brilhante e sedoso, as unhas mais fortes e menos quebradiças. Mas como seguir uma dieta saudável com as obrigações do cotidiano?

De acordo com Sabrina, a jornada dupla não impede que a mulher moderna se alimente bem. “Basta ter um pouco de planejamento e disciplina no início para se reeducar. Quando nos alimentamos mal, a primeira coisa que alegamos é falta de tempo, porém hoje em dia encontrar alimentos saudáveis e práticos esta cada vez mais fácil”, sugere a especialista. Organizar-se e procurar uma nutricionista é o primeiro passo para quem quer seguir uma dieta balanceada.

Comer de três em três horas é uma boa sugestão para quem precisa mudar. Assim o metabolismo acelera, pois está sempre precisando processar os alimentos que são recebidos pelo organismo. O intestino também funciona melhor e a ingestão de alimentos acaba sendo em pequenas quantidades, já que a sensação de fome demora mais para aparecer.

Levar lanchinhos livres de gorduras, frituras e com pouco açúcar na bolsa também é uma forma de evitar sentir fome e correr para a lanchonete mais próxima. Podem ser frutas, iogurte integral ou barrinhas de cereais.

Comendo melhor e ingerindo alimentos que fazem bem para a saúde, você ainda pode incentivar seus filhos a comer melhor. Crianças costumam ser influenciadas e até a copiar os pais, por isso ao consumir este tipo de alimento seus filhos aprendem de que maneira devem comer.

Com todas estas informações, você já sabe os alimentos que são fundamentais para a sua saúde e que não custa caro comer bem. Verduras, frutas e legumes são encontrados com facilidade e com estas orientações você já saberá exatamente o que colocar na sua lista de compras! Agora é só correr para o mercado e colocar em prática a sua nova dieta incluindo os alimentos do bem.

 

 
Criado em 28 Julho 2014

O produto possibilita uma construção de massa muscular mais rápida, promove sensação de saciedade, entre outros benefícios

O Whey Protein faz parte da rotina de muitas pessoas que praticam atividades físicas. A maioria delas sabe que ele permite a construção de massa muscular mais rápida. Porém, ainda existem várias dúvidas sobre o consumo do produto.

Afinal, quais são os benefícios de consumir o Whey Protein? Para quem ele é indicado? Há contraindicações? Abaixo você confere a resposta para estas e outras dúvidas sobre o produto.

O que é e diferentes tipos de Whey

A nutricionista esportiva Vanessa Lobato explica que Whey é uma proteína extraída do soro do leite, usada como suplemente alimentar.

 

“Durante muitos anos esse soro era jogado fora após a produção de queijos, mas foi notado que porcos e peixes de rios – onde esse soro era eliminado – obtiveram uma melhora imunológica e de resistência. Assim, foram estudar esse soro e a partir daí se iniciou a extração da proteína”, explica a profissional.

Vanessa explica que, basicamente, existem três tipos de Whey: Concentrado, Isolado e Hidrolisado. Abaixo ela explica a diferença entre eles:

Concentrado: é o pó extraído do soro do leite, contém proteínas, mas com uma elevada concentração de carboidratos e lactose.

Isolado: leva esse nome pois foi passado por um processo que reduz ou exclui o carboidrato e/ou a lactose totalmente ou parcialmente. É indicado para pessoas com dificuldade na digestibilidade da lactose.

Hidrolisado: é um tipo de Whey que já é pré-digerido. A absorção é mais rápida e é mais indicado para pessoas com intolerâncias na digestibilidade da proteína do leite.

Benefícios que o Whey oferece

o que e whey protein 4 Whey Protein: o que é, por que tomar e como escolher o ideal

 

Vanessa Lobato explica que o Whey Protein é rico nos aminoácidos BCAA’s que fazem parte de 30% da nossa musculatura. Ou seja, no que diz respeito a músculos, essa proteína de alto valor biológico (por conter todos os aminoácidos essenciais para construção muscular) é usada na tentativa de impulsionar os níveis de força, acentuar ganhos no tamanho do músculo e prevenir danos no tecido muscular que ocorrem após a prática de exercícios.

Outro benefício, ainda de acordo com a nutricionista Vanessa, diz respeito à saciedade que oferece. “Por ser proteína, ajuda muito na sensação de saciedade. E, também, no bom funcionamento do nosso sistema imunológico”, acrescenta.

Dessa forma, é possível citar, de forma resumida, como benefícios do consumo de Whey:

  • Possibilita uma construção de massa muscular mais rápida;
  • Contribui para a manutenção de massa muscular;
  • Previne danos no tecido muscular após a prática de exercícios intensos;
  • Promove saciedade;
  • Atua no bom funcionamento do sistema imunológico.

Whey engorda ou emagrece?

o que e whey protein 3 Whey Protein: o que é, por que tomar e como escolher o ideal

 

Esta é uma dúvida bastante comum sobre o produto.

Vanessa Lobato explica que Whey Protein é uma proteína e gera calorias. “O ganho de peso pode ser de músculos ou de gorduras, tudo vai depender da necessidade individual versus quantidade de consumo”, diz.

“Se a pessoa consome Whey porque treina com alta intensidade e precisa de uma quantidade maior de nutrientes para a sua musculatura, muito provavelmente, se houver um consumo adequado, com descanso e alimentação equilibrada, haverá hipertrofia muscular”, explica a nutricionista Vanessa.

Porém, continua a profissional, se a pessoa não treinar com uma intensidade alta e tomar mais Whey do que precisa, haverá, sim, o risco dessa proteína se converter para gordura e ser armazenada.

Mas, para o emagrecimento também há a opção de consumir Whey, conforme destaca Vanessa, já que proteínas dão mais saciedade. “Nos intervalos ou pela manhã, por exemplo, o consumo único de carboidratos pode gerar uma necessidade de sempre estar com fome, por não sentir-se saciada. E o consumo de proteínas pode ajudar nesse sentido, sendo que o Whey Protein entra nesse caso como uma opção de consumo”, explica.

Como tomar Whey?

Algumas pessoas tomam Whey batido com água e outras, com leite. Mas tudo depende das necessidades individuais de cada uma. E a recomendação principalmente é procurar um nutricionista ou nutrólogo antes de iniciar o consumo do produto, exatamente para que o profissional possa passar todas as orientações.

Vanessa Lobato explica que, se a prioridade é o treino, o Whey deverá ser consumido após a atividade física. “Mas, dependendo da intensidade dos treinos e do volume muscular, essa necessidade pode aumentar e o consumo deverá ser distribuído durante um período maior”, diz.

Uma dose diária recomendada geralmente vem descrita na embalagem do produto, mas a verdade é que ela não serve para todo mundo. Ou seja, a dose necessária varia de acordo seus objetivos e tipo de organismo, por isso reforça-se a necessidade de procurar sempre um profissional que possa te orientar sobre o consumo do produto.

Como escolher um bom Whey?

o que e whey protein 2 Whey Protein: o que é, por que tomar e como escolher o ideal

 

O que levar em consideração na hora da compra? Abaixo você confere alguns pontos que devem ser observados e que vão ajudar na escolha de um bom produto:

Tipo. Vanessa Lobato lembra que o tipo de Whey (Concentrado, Isolado, Hidrolisado) deve ser escolhido de acordo com a tolerância da pessoa.

Validade. Vanessa lembra que, na hora da compra, é muito importante observar a data de validade do produto, visto que o consumo pode durar meses.

Composição. A nutricionista Vanessa lembra que na hora da compra é importante analisar ainda se não há corantes artificiais no produto. “Pois o consumo desses por algumas pessoas causam dermatites: pontinhos vermelhos no corpo que às vezes são confundidos com acne”, destaca.

Custo. Não se pode dizer que o produto mais caro é necessariamente o melhor. A nutricionista explica que o preço do Whey é um pouco elevado. “Toda matéria prima é importada, então tanto os nacionais quanto os importados são caros devido às taxas cobradas na importação da matéria prima ou do suplemento pronto”, destaca.

Marcas. Como pelo preço é difícil saber quais são os melhores produtos, um bom caminho é procurar por marcas mais conhecidas, como Gold Standard, EAS, Nutrilatina e Probiótica. Vale a pena também conferir a lista de marcas de Whey que foram proibidas pela Anvisa.

Indicação. A forma mais garantida de comprar um bom produto e usufruir dos benefícios que o Whey pode oferecer é seguir as recomendações de um nutricionista ou nutrólogo. Ele indicará, além de boas marcas, a melhor forma de consumo, levando em conta suas necessidades e objetivos particulares.

 

 

Onde comprar Whey?

Vanessa explica que é o Whey pode ser comprado em lojas de suplementos ou farmácias.

É possível encontrar ainda várias opções de Whey à venda pela internet, conforme você confere na galeria a seguir:

6 dicas importantes para quem toma ou pretende tomar Whey

Siga as orientações para fazer um uso seguro e eficaz do suplemento a base de proteína do leite:

  1. O Whey não é indicado para todo mundo, dependendo do tipo de produto e intolerância individual, há contraindicação pela digestibilidade, conforme destaca a nutricionista esportiva Vanessa. Informa-se bem sobre isto antes de iniciar o consumo.
  2. Pessoas com problemas renais, como insuficiência renal aguda, precisam de orientação para controlar a quantidade de proteínas de consumo (inclusive Whey Protein), conforme destaca Vanessa.
  3. Dependendo da intolerância de cada pessoa, o Whey pode causar desconfortos gastrointestinais.
  4. Devido à presença, em algumas marcas de Whey, de corantes, pode ocorrer a formação de pontos vermelhos (confundidos com acne) no corpo da pessoa. Por isso, na hora da compra fique de olho na composição do produto e evite o que contém corantes.
  5. Se a pessoa não treinar com uma intensidade alta e tomar mais Whey do que precisa, a proteína poderá se converter para gordura e ser armazenada.
  6. A quantidade diária recomendada, a frequência de consumo e o tipo de Whey indicado variam de acordo com necessidades e objetivos individuais. Por isso, o mais adequado é procurar um especialista para orientar sobre qual o melhor tipo de produto a ser consumido e, sobretudo, se há a necessidade de consumo do Whey.

Agora você já tem boas informações sobre o Whey, conhece os benefícios que o produto pode oferecer e sabe, sobretudo, que o mais indicado é só iniciar o consumo dele após recomendação de um profissional da área de nutrição.

 

 
Criado em 22 Julho 2014

Rica em nutrientes e substâncias antioxidantes, a cebola possui também ação antialérgica e anti-inflamatória

cebola conheca os beneficios desse superalimento 2 Cebola: conheça os benefícios desse superalimento

Karin orienta que o consumo da cebola garante muitos benefícios ao organismo. A nutricionista recomenda que o consumo seja feito diariamente. Outra recomendação importante é a de não comprar temperos prontos, mas optar pelos feitos em casa. Conheça alguns benefícios desse poderoso alimento, inclusive para a pele e os cabelos:

  1. Eficácia na redução dos níveis de açúcar no sangue, por isso o consumo é recomendado para diabéticos;
  2. Redução dos níveis de colesterol prevenindo doenças cardiovasculares;
  3. Diminuição na pressão arterial, por isso o consumo é indicado para hipertensos;
  4. Ajuda a evitar o risco de tromboses;
  5. É utilizada para diminuir sintomas de gripe, resfriado, asma e infecções virais pois possui ação antialérgica e anti-inflamatória;
  6. Por ser um alimento rico em antioxidantes e vitamina C, A e E, a cebola também traz benefícios para a pele e cabelos;
  7. Previne os radicais livre e garante benefícios anti-idade para a pele;
  8. Possui ação antibacteriana, antimicróbica e anti-inflamatória e é um poderoso antisséptico que protege a pele da acne;
  9. Previne a queda do cabelo e estimula o nascimento de novos fios;
  10. Revitaliza os cabelos, dá brilho e mantém o cabelo limpo por mais tempo.

Tipos de cebolas

cebola conheca os beneficios desse superalimento 4 Cebola: conheça os benefícios desse superalimento

cebola conheca os beneficios desse superalimento 3 Cebola: conheça os benefícios desse superalimento

Algumas sugestões de uso são: com saladas, como base para molhos e sopas, fritas na manteiga, adicionadas à guacamole, em risotos e carnes e também as cebolas salteadas como aperitivo. Vale a pena adotar esse superalimento no seu cardápio semanal. Confira mais opções de preparo:

Cebolas cruas: podem ser adicionados em saladas. Você pode cortar as cebolas em anéis e adicioná-los ao tomate picado, pepino, cenoura e beterraba temperadas com suco de limão.

Cebolas fatiadas: podem ser fritas e usadas como uma base para molhos de massas e sopas, guisados. Podem ser fritas em manteiga ou margarina em fogo médio por cerca de 3 minutos até que fiquem crocantes e douradas.

Cebola picada: pode ser combinada com tomates e abacates para preparar um delicioso guacamole.

Cebolas salteadas: podem realçar o sabor de qualquer prato vegetariano. Este método envolve a dourar a cebola, a qual pode ser adicionada aos vegetais refogados, sopas e massas.

Para ver mais receitas com cebolas, você pode conferir os seguintes sites: Tudo GostosoGshow eMundo Verde.

Receita: como cozinhar cebolas de forma saudável

Abaixo você confere uma receita para preparar a cebola para inclui-la em seus pratos favoritos:

  1. Corte as cebolas em rodelas;
  2. Aqueça 2 colheres de caldo de legumes ou frango em fogo médio em uma frigideira de aço inox;
  3. Quando o caldo começa a evaporar, adicione as cebolas e cubra por 3 minutos. A cebola vai liberar uma pequena quantidade de líquido;
  4. Descubra e adicione outro caldo;
  5. Continue a mexer por 4 minutos, deixando destampado;
  6. Misture bem e utilize como combinação dos seus ingredientes favoritos. Frango é uma sugestão.

Não exclua a cebola da sua vida, além de ótima para a saúde e saborosa para o preparo dos alimentos, ela pode te deixar ainda mais linda.

 
Criado em 06 Julho 2014

Antes dos cinco anos, a maioria das pessoas são capazes de digerir leite corretamente, mas há casos em que uma criança depois de um ano de idade tem intolerância à lactose. De acordo com dados do Instituto Nacional de Pediatria, 6% da população de um a três anos de idade sofre com este problema, ou seja, uma em cada 20 crianças.

A lactose é um elemento que está presente no leite humano e dos animais, é constituído por dois compostos: glicose e galactose, que são divididos por uma enzima chamada lactase. No entanto, o que acontece quando este nutriente essencial para a vida de seu filho lhe dá diarreia e inflamação?

Sinais para saber se seu filho tem intolerância à lactose

1 – Dor e diarreia.

2 – Distensão abdominal, gases intestinais e ruído.

3 – A diarreia vem acompanhada de gases, geralmente provoca irritações.

4 – É improvável que um bebê nos primeiros meses de vida (de seis a oito meses), desenvolva intolerância à lactose.

Para a Academia Americana de Pediatria a amamentação deve ser realizada pelo menos no primeiro ano de vida da criança. No entanto, se seu bebê apresenta vômitos ou diarreia após a ingestão de leite, é importante que você vá a um especialista em saúde.

 

 

 

 

 
Criado em 01 Julho 2014

Chuchu é uma baixa em caloria e rico em água. Uma xícara de Chuchu cozida fornece cerca de 38 calorias de energia. É pobre em gordura saturada e não contém colesterol. No entanto, chuchu é uma rica fonte de fibra dietética, que o torna um ideal de alimentos para aqueles que tentam perder o peso. A fibra é também útil no controle dos níveis de açúcar no sangue e para manter o coração saudável, diminuindo os níveis de colesterol. Chuchué um grande fruto que lhe proporciona muitos dos essenciais vitaminas e minerais. É uma boa fonte de Vitamina C, folato,TiaminaRiboflavina e piridoxina.

Chuchu é pobre em sódio e rica em potássio, que é bom para manter os níveis normais da pressão arterial. Ele também contém outros minerais, como o Cálcio,MagnésioFósforo e Zinco. Além do potente antioxidante vitamina C, o Chuchutambém contém ou antioxidantes como, flavonóides, polifenólicos, luteolina e apigenina que ajudam a destruir os radicais livres. Apesar de não ser muito atraente ou exótico na aparência, chuchu oferece inúmeros benefícios que ajudam a melhorar a sua saúde em geral. Alguns dos benefícios do chuchu para saúde estão explicadas abaixo.

Os Benefícios do Chuchu

 

Chuchu (1)

 

Benefícios do Chuchu para Pele: Quem não quer a pele com aspecto saudável e bonito? Você sabia que você pode facilmente obter uma pele lisa e sem falhas, incluindo chuchu em sua dieta regular? Chuchu contém boas quantidades de folato fólico, vitamina C, vitamina E, e zinco, os quais ajudam na promoção de uma pele saudável. A vitamina C, sendo um forte de antioxidante luta contra os radicais livres e, assim, retarda o processo de envelhecimento. O zinco é eficaz no controlo da produção de óleo na pele, como um resultado do que a sua pele é protegida contra a acne. Embora a vitamina E ajuda a proteger a sua pele e em reparar os danos à pele, folato ajuda a aumentar a elasticidade e firmeza da pele.

Chuchu é Fonte de Energia: Chuchu é uma boa fonte de manganês, que ajuda na conversão de gorduras e proteínas em energia. Assim, tendo este vegetal no café da manhã pode ajudar a começar o dia com uma boa saúde e energia.

Benefícios do Chuchu na Prevenção do Câncer: Chuchu é uma excelente fonte de vitamina C, que é um antioxidante muito poderoso. Antioxidantes são substâncias que ajudam na prevenção dos danos causados às células pelos radicais livres nocivos. Ao impedir o estresse oxidativo e mutação, estes antioxidantes podem inibir ou até mesmo ajudar na prevenção do crescimento e desenvolvimento de câncer.

Chuchu Reduz a Pressão Arterial: Várias pessoas que têm vindo a sofrer de pressão alta afirmam que eles foram beneficiados por consumir chuchu. Os altos níveis de potássio Ajuda a equilibrar os efeitos do sódio, evitando assim a hipertensão.

Benefícios do Chuchu para Coração: De acordo com estudos, a presença de quantidades excessivas de homocisteína no sangue está associado com um aumento do risco de acidente vascular cerebral e doença de coração. Chuchu é uma maravilhosa fonte de ácido fólico, uma vitamina do grupo B, que ajuda na prevenção do acúmulo deste aminoácido. O potássio do chuchu reduz a pressão arterial e magnésio ajuda a aumentar os níveis de colesterol bom, mantendo batimentos normais do coração e também na prevenção da coagulação do sangue.

Chuchu Previne a Constipação: Se você sofre de prisão de ventre, chuchu é um alimento que você gostaria de incluir em sua dieta uma vez que promove movimentos intestinais regulares. Contém grandes quantidades de fibra dietética que evita problemas digestivos, como constipação e síndrome do intestino irritável extraindo a água para as fezes e suavizando-los. Isto torna mais fácil a remoção de todos os resíduos a partir do sistema digestivo.

Chuchu Ajuda a Emagrecer: Chuchu tem um teor calórico muito baixo, ainda não tem colesterol ou gorduras saturadas.Além disso, o Chuchu é uma boa fonte de fibra dietética, pode ser o complemento perfeito para qualquer dieta para perda de peso. A fibra alimentar irá lhe enche facilmente e assim você irá se sentir mais completo por um longo período de tempo. Como a sua fome é saciada, você restringir de excessos e lanches freqüentes, o que é muito importante em uma dieta para perda de peso.

Chuchu para Anemia: A deficiência de ferro e vitamina B2 é freqüentemente associada com a anemia. Chuchu pode fornecer seu corpo com uma quantidade suficiente desses dois nutrientes, que estimulam a produção de células vermelhas do sangue, aumentando assim os níveis de hemoglobina no sangue. O folato contido nesta fruta também desempenha um papel muito importante na produção e desenvolvimento das células vermelhos do sangue. Além disso, os outros nutrientes do chuchu, como a vitamina C, zinco e cobre ajuda na absorção fácil e adequada de ferro pelo seu corpo.

Chuchu para Diabéticos: Chuchu é um muito baixo no índice glicêmico, é ainda baixa em calorias e rica em fibras alimentares. Uma vez que não causam picos perigosos nos níveis de açúcar no sangue, é ideal para pessoas que sofrem de diabetes. A carne do chuchu é rica em fibra solúvel, que ajuda a retardar o processo de digestão e inibindo a absorção de açúcares. De acordo com estudos, a fibra solúvel é muito útil na redução do nível de açúcar no sangue e na gestão de diabetes.

Chuchu Reduz o Colesterol: A fibra solúvel do chuchu liga-se com o colesterol e ajuda na remoção fácil do seu sistema. O chuchu foi mostrado que podem diminuir os níveis de colesterol mau ou LDL e, ao mesmo tempo, aumentar os níveis de colesterol bom de HDL.

Chuchu melhora o seu Sistema imunológico: Chuchu é uma grande fonte de zinco, que ajuda a impulsionar o sistema imunológico e combate as doenças. Os altos níveis de vitamina C também desempenham um papel fundamental no apoio e melhorar em sua imunidade.

Outros Benefícios do Chuchu para Saúde

  • Chuchu é bom para mulheres grávidas, O ácido fólico é uma vitamina importante que é essencial para a saúde, não só a matriz de espera mas também o feto.
  • Chuchu é bom para os rins, As propriedades diuréticas do chuchu ajuda na prevenção de pedras nos rins e também no alívio de infecções do trato urinário.
  • Chuchu promove a saúde óssea, Chuchu é abundante em minerais como magnésio, fósforo e cálcio, que são essenciais para a manutenção de ossos fortes e saudáveis.
 
Criado em 25 Junho 2014

Dentre a imensa variedade de vegetais existente, um certamente tem papel de destaque. Trata-se da couve (Brassica oleracea L.), uma hortaliça muito consumida no Brasil, tanto em saladas, como refogados, sopas, caldos, molhos ou ainda, no preparo de sucos.

Aliás, é como ingrediente dos mais variados tipos de suco que a couve tem conquistado cada vez mais adeptos.

Mas a que se deve esse sucesso todo? A couve – seja consumida como alimento, seja como bebida – é mesmo benéfica à saúde? Por quê?

Abaixo você confere a resposta para essas dúvidas e, também, ótimas receitas de sucos à base de couve. Vale a pena conferir!

Camilla Coelho, nutricionista da PronoKal Brasil, destaca, antes mesmo de falar dos benefícios da couve, que quando o objetivo for consumi-la crua – como em saladas – ela deve ser devidamente lavada, a fim de que sejam removidos quaisquer microrganismos nocivos.

“Para os que preferem cozinhá-la e refogá-la, o ideal é que a couve fique o menor tempo possível no fogo, para manter suas propriedades nutricionais e sabor agradável”, destaca a nutricionista.

Por que a couve faz bem para a saúde?

suco de couve 4 Suco de couve: por que acrescentá lo à sua dieta?

Abaixo, Camilla Coelho cita os benefícios que a couve pode oferecer para o nosso organismo:

  • Por possuir propriedades digestivas, detoxificantes, anti-inflamatórias e antioxidantes (ou seja, por ter o poder de combater os chamados radicais livres – que são produzidos naturalmente e afetam negativamente o organismo, contribuindo para o envelhecimento precoce e a instalação de doenças degenerativas, como câncer, artrite reumática, entre outras), seu consumo é altamente recomendado para uma dieta equilibrada;
  • Em quantidades adequadas, a couve é considerada uma boa fonte de luteínas e quercetinas, potenciais antioxidantes (que, como citado acima, têm o poder de combater os chamados radicais livres – que contribuem para o envelhecimento precoce e a instalação de doenças degenerativas);
  • A couve possui vitaminas A, C e K, além de possuir quantidades equilibradas de cálcio e magnésio, equilíbrio difícil de ser encontrado em outros alimentos.
  • Mais especificamente em relação ao organismo feminino, seu potencial efeito antioxidante proporciona uma possível diminuição da incidência de câncer de mama.
  • Essa hortaliça possui fitonutrientes que ajudam a estabilizar reações antioxidantes, “ou seja, auxiliando a combater radicais livres que possam causar danos celulares, ou até mesmo eliminando substâncias que poderiam proporcionar crescimento de células cancerígenas, mostrando mais uma vez seu efeito detoxificante”, destaca a nutricionista Camilla.

A nutricionista acrescenta que, para a couve manter suas propriedades nutricionais e medicinais, ela deve ser consumida preferencialmente crua. “Por ser rica em Vitamina C (micronutriente geralmente perdido ao ser exposto ao calor), quando consumida crua, consegue-se preservá-la ao máximo. Além do mais, ela possui maior quantidade dessa vitamina que muitas frutas comumente utilizadas em sucos”, diz.

Os benefícios da couve para a beleza da mulher

Além do fato de possuir efeito antioxidante que pode ajudar diminuir a incidência de câncer de mama, a couve oferece alguns benefícios diretamente relacionados à beleza da mulher. Vale a pena conhecer:

 
 
  • A couve ajuda a combater a celulite;
  • Associada a uma dieta saudável, ajuda a eliminar a gordura;
  • Previne o envelhecimento precoce, devido ao seu potencial antioxidante (ou, seja poder de combater os radicais livres que afetam negativamente o organismo);
  • Faz bem para a pele, pois ajuda a manter o colágeno;
  • Devido à presença de vitaminas, a couve faz bem também para os cabelos da mulher.

Vantagens e desvantagens do suco de couve

suco de couve 3 Suco de couve: por que acrescentá lo à sua dieta?

Apesar de a recomendação primordial ser a de consumir a couve crua, muitas pessoas têm optado por acrescentá-la aos sucos naturais – o que também pode oferecer benefícios.

Praticidade: Camilla Coelho explica que, pela simplicidade e rapidez no preparo de sucos contendo couve, as receitas são ideais para quem possui pouco tempo.

Substitui lanches: Ainda de acordo com a nutricionista, o suco de couve pode ser ingerido em horários de lanches, onde geralmente há necessidade de refeições menores. “Por possuir boa quantidade de vitamina C, pode auxiliar na biodisponibilidade de minerais como Ferro, presente em proteínas de origem animal como carnes e ovos durante almoço e jantar”, explica.

Sabor: O único problema da couve, destaca a nutricionista Camilla, é que ela não tem um sabor naturalmente doce. “E como geralmente suas receitas são agregadas a frutas cítricas, há em grande parte necessidade de acrescentar açúcar ou adoçantes, principalmente quando se tenta incluir esse tipo de suco na alimentação infantil. Dessa forma, deve-se ponderar no uso de açúcares e adoçantes, para que não se aumente o valor calórico do suco”, explica.

Ideal em dietas: Camilla acrescenta que, para dietas restritas em carboidratos, o suco feito com couve surge como uma boa opção. “Porém, é preciso cuidado com o tipo de fruta que será acrescentada. Limão, maracujá e maçã são ótimas opções, pela baixa quantidade de carboidratos”, destaca.

Receitas de sucos com couve

suco de couve Suco de couve: por que acrescentá lo à sua dieta?

Agora, abaixo a nutricionista Camilla Coelho cita algumas receitas de sucos feitos com couve e fala sobre os benefícios de cada um. Vale a pena anotar!

1. Couve com limão para fortalecer o sistema imunológico

De acordo com Camilla, o efeito benéfico dessa mistura consiste na alta concentração de vitamina C e quercetinas, pois tanto a couve quanto o limão possuem grandes quantidades. “Tomar um copo de aproximadamente 250 mL pela manhã pode ajudar a estimular o sistema imunológico e a produção de insulina, ajudando a equilibrar a glicemia”, diz.

“Além disso, o limão possui uma ótima concentração de potássio, mineral importante para o equilíbrio de eletrólitos e água no corpo”, acrescenta a nutricionista.

Ingredientes:

  • ½ limão;
  • 1 folha de couve;
  • 1 copo de água (aproximadamente 180 ou 200 ml).

Modo de preparo:

Coloque o limão juntamente com a folha de couve no liquidificador e vá acrescentando água ao poucos. Quando o suco estiver numa textura e cor uniforme, estará pronto.

2. Couve com maçã contra a pressão alta

Esse suco possui, além de todos os efeitos anteriormente citados da couve, o efeito cardioprotetor da maçã, conforme destaca Camilla Coelho. “Devido à sua riqueza em flavonoides – substâncias antioxidantes que atuam de maneira a prevenir a oxidação de moléculas LDL colesterol (tipo não benéfico de colesterol) -, previne a formação de placas no interior dos vasos sanguíneos. Portanto, tornam as artérias menos rígidas e o sangue circula de forma mais fluida, reduzindo a pressão arterial”, explica.

Ingredientes:

  • 2 maçãs;
  • 2 folhas de couve.

Modo de preparo:

Corte as maçãs ao meio e retire as sementes. Faça o mesmo com as folhas de couve. Coloque a metade de uma folha e outra metade da maçã e bata bem. Repita com os outros pedaços até o suco se formar.

3. Suco verde com gengibre para acelerar o metabolismo e queimar calorias

Além das propriedades digestivas da couve, o outro componente importante dessa receita é o gengibre, com propriedades termogênicas. “Ou seja, o suco ajuda a acelerar o metabolismo, possibilitando um aumento no gasto calórico”, explica a nutricionista Camilla.

Ingredientes:

  • 2 laranjas;
  • 3 folhas de couve;
  • 1 gengibre;
  • 1 litro de água.

Modo de preparo:

Corte as laranjas em pedaços e tire as sementes. Coloque no liquidificador. Junte as folhas de couve bem lavadas e com talo. Acrescente um pedacinho de gengibre. Complete com o litro de água e bata. Depois, coe, acrescente adoçante a seu gosto e sirva com muito gelo.

4. Suco de couve para prevenir rugas e cuidar dos cabelos

Abaixo você confere uma receita de suco feito com couve que promete manter a pele e os cabelos da mulher mais bonitos. Isso porque a combinação dos ingredientes ajuda a evitar o surgimento de rugas e ainda dá mais brilho e força aos fios de cabelo.

Ingredientes:

  • 2 folhas de couve
  • 1 cenoura
  • 1 fatia de beterraba
  • 1 punhado de espinafre
  • 1 maçã verde
  • 1/2 laranja

Modo de preparo:

Passe todos os alimentos na centrífuga ou bata tudo no liquidificador. Adicione gelo.

Anotou todas as receitas? Agora você já conhece os benefícios da couve e dos sucos citados acima. Vale a pena acrescentá-los na sua dieta!

 

 
Criado em 16 Junho 2014

Você já sentiu, ao menos uma vez, um grande desconforto e uma queimação que parecia subir do abdome até sua garganta?! Pois bem, você já sofreu então com a azia – sensação de nome bastante conhecido, mas que pouca gente sabe, de fato, o que representa.

Abaixo você confere todas as informações sobre a azia, quais são suas causas, tratamentos, bem como orientações importantes de como evitar esta sensação incômoda. Vale a pena conferir!

O que é azia?

Alexandre Sakano, gastroenterologista do Hospital e Maternidade São Luiz Itaim, explica que azia é a sensação de queimação no peito e no abdome na região do estômago, que se irradia do final do esterno (na chamada boca do estômago) até a base do pescoço, podendo atingir até a garganta.

Principais causas

A azia, de acordo com Sakano, em geral, é causada pelo refluxo, que é o retorno do conteúdo do estômago para o esôfago, órgão que leva a comida da boca até o estômago.

O gastroenterologista explica que, normalmente, temos um músculo que fecha a passagem do esôfago para o estômago e que impede esse refluxo. “No caso de refluxo, esse músculo deixa de ser eficaz permitindo o retorno do alimento do estômago para o esôfago, causando a azia”, diz.

Quando procurar ajuda médica?

De acordo com Sakano, azia ocasionalmente é normal. “E todos nós podemos ter, após os excessos como comer alimentos mais ‘pesados’, comida gordurosa, bebida alcoólica em excesso etc.”, diz.

Porém, quando os sintomas passam a ficar muito frequentes, ainda de acordo com o médico, pode-se estar diante de uma pessoa portadora de doença do refluxo gastro esofágico. “Ela necessita, neste caso, de uma avaliação médica e exames diagnósticos para esclarecer melhor as causas do refluxo”, destaca.

Tratamentos para a azia

como aliviar azia 2 Azia: é possível evitá la? Conheça suas causas e tratamentos

Para os casos de azia ocasional, de acordo com Sakano, medicamentos comuns, vendidos sem a necessidade de prescrição em farmácias, como antiácidos, podem ajudar.

No caso da doença do refluxo gastroesofágico, passa a ser necessário o uso de medicamentos específicos para a doença, que devem ser prescritos após uma avaliação médica, conforme explica o gastroenterologista Sakano. “Esses medicamentos podem ser utilizados por períodos curtos, até que se observe a melhora dos sintomas ou, em casos mais intensos, mantidos por longos períodos”, diz.

Em alguns casos, destaca o médico, a cirurgia para correção do refluxo pode ser realizada, com ótimos resultados.

Receitas caseiras que podem ajudar a aliviar a azia

Ainda de acordo com Sakano, quando a azia é ocasional, tratamentos ditos caseiros, como beber leite e sucos de alguns tipos de vegetais, acabam sendo eficazes, atuando como antiácidos naturais.

Como evitar a azia

como aliviar azia 3 Azia: é possível evitá la? Conheça suas causas e tratamentos

Para evitar a azia, Alexandre Sakano passa algumas orientações:

  • O ideal é evitar as refeições muito volumosas;
  • Evitar comidas de digestão mais lenta;
  • Evitar bebidas alcoólicas em excesso.

Ainda de acordo com o médico, nos portadores da doença do refluxo, é necessário:

  • Não fazer refeições muito volumosas, sendo o ideal comer pouca quantidade de cada vez, várias vezes ao dia;
  • Evitar comer e deitar logo em seguida;
  • Evitar alimentos ácidos, apimentados ou muito condimentados.

“Alguns alimentos pioram o refluxo pois relaxam a musculatura que fecha a passagem do esôfago para o estômago, tornando a passagem mais frouxa, o que piora o sintoma. Esses alimentos são, por exemplo: chás, café, bebidas alcoólicas”, destaca Sakano.

Azia X refluxo x gastrite

A verdade é que muitas pessoas já sentiram uma queimação no estômago algum dia. Porém, nem todas souberam identificar o motivo dessa sensação incômoda. Existe muita confusão, por exemplo, entre a definição do que é azia, refluxo e gastrite. Por isso é bastante importante conhecer o significado de cada uma dessas palavras.

Gastrite é definida como uma inflamação aguda ou crônica da mucosa que reveste as paredes internas do estômago. A dor da gastrite é circunscrita, começa na região epigástrica, logo abaixo do esterno. De forma geral, a queixa é de dor na boca do estômago, que pode vir ou não acompanhada de azia.

A azia, como já foi mencionada, é um sintoma que pode estar sendo causado pelo refluxo. “Pacientes que apresentam sintomas de azia com frequência mínima de 2 vezes por semana, com duração de 4 a 8 semanas, devem ser considerados possíveis portadores da doença do refluxo gastroesofágico”, explica Sakani.

Agora você já tem as principais informações sobre o assunto e sabe que, quando os quadros de azia se tornam muito frequentes, é importante procurar um médico, que fará uma avaliação completa e poderá indicar o melhor tratamento para o seu caso.

 

 

 

 

 

Pagina 7 de 15

<< Iniciar < Ant 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 Próx > Fim >>