Criado em 26 Outubro 2015

Os Benefícios da Vitamina C Para Saúde são grandiosos. Pois, A Vitamina C é um nutriente essencial para o nosso corpo, ricos em antioxidantes que nos ajudam a prevenir e a combate os radicais livres que são os principais responsável pelo envelhecimento precoce. Além disso, A principal função da Vitamina C é produzir e nutrir o colágeno, um nutrientes encontrados nos vasos da pele, ligamentos e no sangue. O Colágeno ajuda a manter as cartilagens, dentes e ossos saudáveis.

A Vitamina C fornece, de fato, muitos benefícios além desses. Além de potencializar a saúde de um modo geral em virtude de seu efeito antioxidante, a Vitamina C ainda possui funções que podem auxiliar na perda de peso e no ganho de massa muscular. Então, confira os 15 Benefícios da Vitamina C Para Saúde.

Benefícios da Vitamina C Contra Doenças Cardiovasculares: A Vitamina C é um dos melhores Antioxidantes que há, devido as suas propriedades, ela ajuda a diminuir o acúmulo do colesterol nas artérias, ajuda a prevenir e combate a arteriosclerose e a hipertensão arterial. portanto, o consumo de Vitamina C ajuda a diminuir dramaticamente o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, como o temido infarto do miocárdio.

Benefícios da Vitamina C Contra o Stress:Vitamina C é capaz de provocar uma diminuição nos níveis de Cortisol, hormônio que é estimulado pelo estresse e que é responsável por muitos de seus efeitos nocivos.

Benefícios da Vitamina C no Tratamento do Câncer: Estudos realizados descobriram que um alto consumo de frutas e legumes ajudam a diminuir os riscos de vários tipos de câncer. Os estudos mostraram também que o aumento do consumo de Vitamina C está ligado a uma diminuição da possibilidade de ocorrer cânceres de pulmões, boca, cordas vocais, garganta, do cólon, do reto, do estômago e do esófago.

Benefícios da Vitamina C Para o Humor: A Vitamina C desempenha um papel fundamental na produção de neurotransmissores, como a norepinefrina. Eles afetar o humor de uma pessoa, e são fundamentais para o bom funcionamento do cérebro.

A Vitamina C Ajuda no Controle da Asma: O Vitamina C também ajuda a reduzir os sintomas de asma. pois, ajuda a proteger contra os efeitos prejudiciais de contaminação do corpo humano, o que muitas vezes resulta em sintomas semelhantes à asma.

Benefícios da Vitamina C Para Diabetes: Uma das principais razões para a Diabetes, encontrado em vários estudos, é devido aos baixos níveis de Vitamina C. Suplementos de vitamina C são benéficos no tratamento da diabetes, eles ajudam no processamento de insulina e glicose.

Benefícios da Vitamina C Para o Sistema Imunológico: AVitamina C é amplamente conhecida pela sua contribuição para o sistema Imunológico do corpo e a sua estimulação dos glóbulos brancos do sangue.

Benefícios da Vitamina C Para Beleza: As funções antioxidantes também trabalham em favor da beleza, combatendo efeitos indesejáveis do envelhecimento sobretudo na pele. A degradação da pele é retardada por níveis adequada de Vitamina C, prevenindo o aparecimento das rugas.

Benefícios da Vitamina C Para Hipertensão: Portadores de hipertensão estão em um alto risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares. O consumo diário de Alimentos Ricos em Vitamina C ajuda na redução da pressão arterial do corpo.

os Benefícios da Vitamina C Para Saúde

Benefícios da Vitamina C Para Saúde dos olhos: Os olhos são estruturas severamente atacadas pelos radicais livres em virtude de sua constante e intensa exposição à luz. Nesse sentido, são especialmente beneficiados pela proteção da vitamina C, cujas propriedades antioxidantes evitam doenças como a catarata.

 

 
Criado em 16 Setembro 2015

Ela é a heroína em alguns casos, mas pode ser a pior inimiga em outros. Muito tem se falado sobre o quão saudável a chia é para o organismo humano. E é verdade. Ela possui uma série de benefícios, como perda de peso, desintoxicação, redução da ansiedade, do colesterol e triglicérides, previne o envelhecimento precoce, fortalece os músculos e previne a diabetes e doenças cardiovasculares. E também é muito nutritiva, pois contém proteínas, cálcio, ômega 3, magnésio, manganês, fibras, antioxidantes e muita energia.
– É um milagre. Mas não é bem assim. Para que o consumo seja mesmo “milagroso” é preciso tomar certos cuidados. Segundo o estudo “O impacto da semente de chia no esôfago” da Rebeca Rawl, médica do Centro Médico Carolinas (Nova Iorque, Estados Unidos), o grão pode absorver 27 vezes mais do que o peso dela em água. Por isso, a doutora recomenda “Ninguém deveria consumir essas sementes secas. “se você comer as sementes secas, sem deixá-las em algum líquido para que os absorva antes da ingestão, elas absorverão a água que existe no seu organismo, o que possibilitará uma oclusão”.
Segundo o estudo já mencionado da Dra. Rawl, existem alguns motivos pelos quais você não deve consumir a chia, sem antes consultar o seu médico. São eles:
Hipertensos: as pessoas hipertensas, que já estão medicadas, não devem consumir a semente, já que ela possui propriedades que baixam a tensão arterial, o que pode levar a hipotensão;
Hipotensos: pelos motivos explicados para os hipertensos, os hipotensos não devem consumir a chia. As pessoas que padecem dessa doença podem sentir alguns desconfortos, como dor de cabeça, cansaço e muito sono, isso se deve ao fato da semente reduzir ainda mais a pressão arterial, como diz um estudo do Hospital St. Michael´s, em Toronto, no Canadá;
Pessoas que estão se medicando com anticoagulantes: o grão de chia contém Ômega 3 que, ao ter efeitos anticoagulantes, potencializa o efeito da medicação. Segundo Homer Hartage, Chefe da Corporação de Alimentos Nuchia, “…é recomendado que você consulte um médico antes de consumir a semente.” E ainda alerta que os hemofílicos devem ficar longe dela, já que pode ocasionar hemorragias e hematomas pelo corpo;
Diabéticos: se está tomando remédio para reduzir os níveis de açúcar no sangue, é melhor não consumir a chia, já que ela possui o mesmo efeito da medicação;
Pessoas operadas no trato gastrointestinal:se sofreu uma operação seja no estômago, no cólon ou no intestino é melhor evitá-la. Pois a semente facilita o trânsito intestinal;
Diarreia: contraindicado para as pessoas que estão com diarréia, já que facilita o trânsito intestinal.
Doença Diverticular: deve-se evitar o consumo do grão pela quantidade de fibras que possui.
Síndrome do Intestino Irritável: nesse caso, deve-se evitar o consumo de qualquer semente.
Câncer: segundo estudos realizados pelo Journal of Molecular Biochemistry, o consumo do grão diminui o risco de câncer de mama e de colo do útero. Porém, em 2009, a American Journal of Clinical Nutrition concluiu que existe um risco, ainda que pequeno, de que o consumo da semente possa desenvolver câncer de próstata.
As terapias naturais podem resolver uma série de doenças, é verdade. Mas não devemos olhar somente para o lado positivo delas.
Segundo a Dra. Catherine Ulbricht, fundadora da Natural Research Standar Collaboration, “As pessoas acham que, com as terapias naturais, elas podem consumir o quanto elas desejam porque é natural, mas existem muitos efeitos adversos como em qualquer terapia”, e conclui: “tudo o que entra no seu organismo causa uma ação e uma reação. Nada é 100% benéfico”.

 

 
Criado em 07 Setembro 2015

Cientistas da Universidade de Stony Brook, nos Estados Unidos, descobriram que dormir de lado ajuda a diminuir as chances de desenvolver Alzheimer, Parkinson e outras doenças neurológicas. Segundo o estudo, publicado no "Journal of Neuroscience", o cerébro consegue eliminar resíduos com mais eficiência quando se dorme nesta posição do que de costas ou de bruços. A pesquisa foi realizada em ratos, cujo cérebro é similar ao dos humanos. 

O cérebro tem um sistema complexo para limpar soluções químicas prejudiciais que funciona de forma parecida com o sistema linfático, denominado de "sistema glinfático" por pesquisadores da Universidade Rochester em 2012. Este sistema possui uma espécie de "encanamento" para fazer a "drenagem" de substâncias indesejadas. O nome vem das células glia, do cérebro, que administram este sistema. Cientistas de Rochester também ajudaram no estudo. 

"Com essa descoberta, acreditamos que a postura do corpo e a qualidade do sono devem ser consideradas nos diagnósticos e ajudar no entendimento sobre a limpeza de proteínas prejudiciais ao cérebro que podem contribuir ou causar doenças neurológicas", afirmou Helene Benveniste, da Universidade de Stony Brook. Ela lembra que, apesar da descoberta, ainda é preciso fazer testes em humanos. Helene e seus colegas usaram ressonância magnética de contraste dinâmico para observar esse sistema. 

Os resíduos do cérebro incluem amiloides e proteínas tau, substâncias químicas que afetam o processamento do cérebro de forma negativa quando se acumulam. Já os cientistas da Universidade de Rochester contribuíram usando microscopia fluorescente e marcadores radioativos para validar os dados da ressonância e analisar a influência da postura na eliminação de amiloides do cérebro. 

A posição de lado para dormir é a mais comum entre os humanos e muitos animais. "É interessante que a posição lateral para dormir já é a mais popular nos humanos e na maioria dos animais - mesmo os selvagens - e parece que nós nos adaptamos à posição justamente para limpar nosso cérebro com mais eficiência dos resíduos metabólicos que produzimos quando estamos despertos", diz Maiken Nedergaard, da Universidade de Rochester. 

Segundo ela, o estudo dá subsídio ao conceito de que dormir tem uma função biológica distinta de 'arrumar' a bagunça acumulada enquanto estamos despertos. "Muitos tipos de demência estão ligados a distúrbios do sono, inclusive dificuldades em começar a dormir. 

Também está aumentando o conhecimento de que os distúrbios do sono podem acelerar a perda de memória na doença de Alzheimer. Nossa descoberta traz um novo insight sobre o assunto ao mostrar que a posição em que você dorme é importante", explica. 

 

Divulgação

Bonde

 
Criado em 21 Agosto 2015

Falta de libido é uma das queixas mais frequentes no consultório. Diferente do medicamento masculino, a pílula rosa age a nível cerebral.
A pílula rosa terá preço similar ao do viagra masculino, mas deve ser tomada todos os dias.
A droga que promete reavivar o desejo sexual em mulheres na pré-menopausa teve venda aprovada na terça-feira (18), nos Estados Unidos, e tem gerado muito burburinho. A causa de tanto interesse, de acordo com a médica ginecologista do Hospital Vita Monica Zomer, é a alta demanda. “De maneira geral, 70% das pacientes se queixam de falta de libido”, afirma ela.
Monica explica que a droga – flibanserina, batizada comercialmente de Addyi – é destinada às mulheres que ainda não chegaram à menopausa. “A ação do remédio depende do hormônio estrogênio. Na menopausa, o estrogênio não é mais produzido. O viagra feminino, segundo estudos, pode vir a ser muito eficaz, mas para um público específico: mulheres em pré-menopausa com queda abrupta de libido.”
Ação
Diferentemente do viagra masculino, o Addyi não age localmente, no genital, mas a nível cerebral. “A flibanserina atua nos neurotransmissores do cérebro e deve ser tomada diariamente, não somente antes do ato sexual, como no caso do remédio para homens. Ela mexe com a questão do estímulo e sua ação é associada à serotonina, substância que produz a sensação do bem-estar.”
Por ser um tratamento contínuo, a pílula rosa pode trazer efeitos colaterais, como sonolência e tontura. “De acordo com estudos, de 60% a 70% das mulheres testadas tiveram benefícios. A flibanserina é uma droga nova, pouco conhecida, e deve ser administrada com cuidado, somente sob prescrição de um especialista.”
Na visão da ginecologista, a aprovação da pílula rosa é um avanço para a sexualidade feminina: “Torço para que a droga seja mais estudada e vá evoluindo, pois acredito que será uma esperança para muita gente. A falta de desejo sexual é uma das queixas mais frequentes no consultório.”
Preço
O valor de comercialização do Addyi não foi divulgado, mas uma reportagem do New York Times apurou que ele terá preço similar ao do viagra masculino. Para as mulheres, no entanto, reavivar a libido sairá mais caro, já que a administração do remédio é diária, e não somente prévia ao ato sexual. Nos EUA, uma cartela com 10 unidades de Viagra custa em torno de US$ 400, de acordo com o jornal.

 
Criado em 21 Agosto 2015

Especialista diz que baixa umidade relativa do ar no mês de agosto faz aumentar casos de ressecamentos e alergias oculares
Se, por um lado, dias ensolarados influenciam positivamente o humor das pessoas, por outro a combinação com baixa umidade relativa do ar (falta de chuva) e floração antecipada têm resultado em mais casos de ressecamentos e alergias oculares além de viroses respiratórias.
De acordo com o oftalmologista Renato Neves, diretor-presidente do Eye Care Hospital
de Olhos, as queixas de vermelhidão, irritação e lacrimejamento espontâneo exagerado remetem a casos de alergia ocular e de síndrome do olho seco.
Conheça algumas condutas importantes para prevenir o ressecamento e a coceira nos olhos durante os dias de calor e baixa umidade:
1. Lavar os cílios durante o banho com uma gota de xampu neutro para tirar
qualquer resíduo prejudicial aos olhos;
2. Usar compressas geladas durante o dia e à noite;
3. Pingar lágrimas artificiais para lubrificar bem o cristalino;
4. Retirar e higienizar as lentes de contato antes de dormir;
5. Usar óculos escuros sempre que estiver ao ar livre;
6. Antes de dormir, remover a maquiagem, lavar bem o rosto com sabonete
infantil ou neutro e hidratar a região ao redor dos olhos.

 
Criado em 10 Agosto 2015

Pesquisa saiu na revista 'Pediatrics' e ouviu 917 cuidadores de crianças. Quase 20% dos pais dizem que seus filhos são enjoados para comer.

Crianças em idade pré-escolar que têm paladar extremamente seletivo podem também estar mais sujeitos a problemas relacionados à saúde mental, segundo estudo. A pesquisa concluiu que as crianças "enjoadas" para comer têm mais de duas vezes o risco de serem diagnosticadas com depressão ou ansiedade social em comparação a crianças que consomem uma grande variedade de alimentos. 

Mesmo um paladar moderadamente seletivo foi relacionado com algumas dificuldades psicológicas. Essas crianças estão mais propensas a ter sintomas de depressão, ansiedade e transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) do que crianças com dietas mais variadas. 

 

Segundo os pesquisadores, apesar de o estudo não esclarecer a natureza exata da relação entre os hábitos alimentares e a saúde mental das crianças, os resultados mostram que o problema deve ser levado mais a sério e que profissionais de saúde devem interferir em casos extremos de paladar seletivo.

"Essa não é apenas uma história de pais indulgentes ou crianças malcriadas", diz a autora do estudo, Nancy Zucker, diretora do Centro de Transtornos Alimentares da Universidade Duke, nos Estados Unidos. "Essas são crianças que são profundamente sensíveis ao mundo externo e interno - então as coisas têm cheiros mais fortes e elas podem ter sentimentos mais intensos." 

Receio de alimentos novos é normal 
É normal que crianças pequenas passem por um período em que tenham receio de alimentos desconhecidos ou se recusem a consumir mais do que um punhado de itens diferentes, apesar de que a maior parte das crianças supera isso durante o ensino fundamental. Não é necessariamente prejudicial desde que as crianças mantenham um peso saudável para sua altura, dizem os pediatras. 

Para o estudo, que foi publicado na revista "Pediatrics", Zucker e seus colegas questionaram cuidadores de 917 crianças de 2 a 5 anos. A ocorrência de paladar seletivo doi comum, com quase 20% dos pais tendo reportado que seus filhos exibiam esse comportamento a maior parte do tempo. Entre as crianças enjoadas para comer, 185 tinham aversão moderada a alimentos, o que tinha como consequência uma dieta restrita, e outras 37 tinham hábitos alimentares muito restritos que limitavam sua habilidade de comer com outras pessoas. 
(com informações do site G1)Bonde

 
Criado em 04 Agosto 2015

Parece que a pera não só blinda as consequências desagradáveis que surgem no dia seguinte a uma bebedeira, como também reduz os níveis de álcool no sangue no momento do consumo. A pesquisa revelou que, sobretudo a variedade coreana da fruta, atua em enzimas envolvidas no metabolismo do álcool no organismo, como a aldeído hidrogenase e a álcool hidrogenase. Para obter o efeito anti-ressaca, os pesquisadores recomendam tomar 220 mililitros de suco de pera-coreana, ou nashi - mas dizem que comer as frutas inteiras também gera resultados semelhantes. 
Em uma escala de sintomas que ia até 14, a intensidade geral da ressaca foi reduzida significativamente depois da técnica, segundo os cientistas. Mas há um porém: a propriedade só é obtida se o suco de pera for ingerido antes do consumo de álcool. Nenhuma evidência do estudo apontou para a eficácia de tomar a pera depois da bebida alcoolica. 
"Lembre-se, o melhor jeito de não ter uma ressaca é não beber, em primeiro lugar", adverte Manny Noakes, líder da pesquisa que ainda se encontra em fase preliminar. Noakes e sua equipe pretendem se aprofundar na literatura científica sobre as peras e seus componentes, bem como nos efeitos que provocam na saúde humana. 

 
Criado em 03 Agosto 2015

O ginecologista José Bento disse que o uso contínuo de anticoncepcional preserva fertilidade e evita doenças.

Quem toma pílula anticoncepcional certamente já ouviu ou se perguntou se o uso contínuo da cartela, que vem com 28 comprimidos e não tem pausa, pode dificultar a tentativa de uma gestação no futuro por ficar muito tempo sem menstruar.Para esclarecer se a tese é mito ou verdade, o ginecologista José Bento, que afirma que o uso da pílula, também conhecida como pílula combinada de estrogênio e progesterona, preserva a fertilidade. “Quando a mulher toma o anticoncepcional contínuo, fazendo o controle com seu médico, ela está preservando sua fertilidade, ou seja, é mais fácil de engravidar quando ela parar com este tipo de método contraceptivo”.

O autor do livro A Saúde da Mulher - manual prático de saúde física e emocional para todas as fases da vida (Editora Alaúde) conta que já na primeira tentativa a mulher é capaz de engravidar. “Ela deve parar de tomar a pílula por dois meses para voltar ao ciclo menstrual normal, ingerir ácido fólico, vitaminas, dessa forma ela ficará fértil e poderá engravidar”, diz o especialista.De acordo com o obstetra, a pílula com 28 comprimidos tem outros benefícios. “Tenho pacientes que tomam há 25 anos. Enquanto não quiser ter filhos, a mulher pode fazer o uso direto, não tem problema nenhum, e ainda evita doenças como endometriose, mioma e cisto no ovário”.

Em seu livro, Dr. José Bento explica que as pílulas anticoncepcionais, disseminadas na década de 1970, controlam a ovulação e tornam o muco cervical hostil aos espermatozóides. Sua eficácia para controlar a menstruação e evitar filhos, no entanto, deve ser avaliada, já que pode implicar em riscos para quem sofre de pressão alta, obesidade e é fumante, adverte o ginecologista em sua publicação.

 
Criado em 27 Julho 2015

A pedra na vesícula pode causar dor intensa do lado direito do abdômen, mas na maioria das vezes é assintomática

Talvez você não saiba exatamente o que significa colelitíase, mas certamente já ouviu falar sobre o seu “nome mais popular”: pedra na vesícula.

A colelitíase ou pedra na vesícula é a presença de pedras na interior da vesícula biliar. Vale destacar que a vesícula é um pequeno órgão “em forma de saco”, localizado próximo ao fígado, e que armazena a bile – líquido produzido pelo fígado. Depois que ocorre a alimentação, a vesícula se contrai, liberando bile ao intestino que entrará em contato com o alimento, continuando a digestão iniciada pelo estômago.

Hamilton Funes, especialista em Cirurgia da Obesidade Mórbida, Cirurgia Vídeo Laparoscópica, Cirurgia do Câncer do Aparelho Digestivo, Gastroenterologia, Terapia Intensiva, Nutrologia e Cirurgia Geral da Clínica Nuclehum, de São José do Rio Preto (SP), ressalta que a vesícula biliar é um saco musculomembranoso, contendo em seu interior parte da bile produzida continuamente pelo fígado.

“A bile é formada principalmente de água, sais biliares, bilirrubina e colesterol, além de eletrólitos e ácidos graxos. A pedra na vesícula, ou seja, a litíase vesicular, é formada pela precipitação de algum de seus componentes, em condições anormais de concentração”, explica o especialista.

De acordo com Funes, a presença de cálculo (pedra) na vesícula biliar é muito frequente. “Estima-se 20 milhões, aproximadamente, o número de pessoas que apresentem colelitíase nos EUA. No Brasil, foram realizadas poucas pesquisas referente à incidência de colelitíase, mas alguns estudos em necropsia e por ultrassonografia mostram números que variam de 9% a 20% na população estudada”, destaca.

Qual é o público mais afetado pela colelitíase?

Funes explica que, de acordo com a literatura internacional, nas mulheres entre 45 e 55 a incidência de pedra na vesícula oscila entre 10 a 30 %. “Enquanto no homem, antes dos 70 anos, esse número é de apenas 5%, sendo que a partir dessa idade a incidência aumenta consideravelmente, aproximando-se do que ocorre com a mulher”, destaca.

Sintomas da pedra na vesícula

O especialista explica que a maioria das pessoas que tem pedra na vesícula não sente nenhum desconforto, já que grande parte dos cálculos biliares é assintomática, ou seja, não apresenta sintomas. “Geralmente, o diagnóstico é feito quando o paciente se submete a exames de rotina”, diz Funes.

Porém, em alguns casos, descrito por alguns autores, acrescenta Funes, a intolerância a alimentos gordurosos faz com que a vesícula se contraia, causando:

  • Mal-estar;
  • Enjoo;
  • Dor de cabeça;
  • Dor no lado direito do abdômen.

“A manifestação mais sugestiva é a chamada cólica biliar, que se caracteriza por dor intensa, contínua e com períodos de exacerbação (agravamento) do lado direito do abdômen, logo abaixo da costela, no hipocôndrio direito”, ressalta o especialista.

Como aliviar a dor durante uma crise

Em caso de pedra na vesícula, o que pode ser feito até a ida ao médico, para aliviar a dor?

“Para aliviar dor leve, recomenda-se analgésico comum como dipirona por via oral. Em caso de cólica forte, a medicação deve ser feita de forma injetável”, orienta Funes.

Como diagnosticar o problema?

Funes destaca que a pessoa deve procurar ajuda médica a partir do momento em que apresentar algum sintoma, ou estiver com o diagnóstico realizado por um ultrassom.

“O melhor exame para diagnosticar cálculo na vesícula biliar é o ultrassom, realizado por um especialista”, explica o médico.

Alimentação após o diagnóstico

Em caso de pedra na vesícula, geralmente recomenda-se uma alimentação pobre em gorduras (pois a bile tem a função de digeri-las). Por isso, o paciente deve evitar alimentos como frituras, embutidos, carnes vermelhas, margarina, por exemplo. Deve dar preferência a legumes, frutas, vegetais e grãos na sua alimentação diária. Mas é importante que todos esses detalhes sobre a alimentação sejam conversados com o médico.

Tratamento para pedra na vesícula

Funes explica que o tratamento é a remoção da vesícula, chamada de colecistectomia, “que hoje é realizada por videolaparoscopia, com ótimo prognóstico”, destaca.

A videolaparoscopia utiliza três ou quatro pequenas incisões no abdômen e, em uma delas, entra a câmera de vídeo de alta resolução (que transmite a imagem para uma tela de LCD) e, nas outras incisões, entram os instrumentos cirúrgicos. O profissional realiza então a cirurgia olhando para um monitor de vídeo e a vesícula biliar é removida através de uma das incisões.

O método é pouco invasivo, rápido e geralmente requer um tempo de recuperação curto. É seguro e possui muitas vantagens em relação à cirurgia aberta.

Como evitar a pedra na vesícula?

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Será que é possível evitar este problema? Funes explica que muitos autores acreditam que haja um fator genético na incidência de colelitíase. “O uso de anticoncepcionais orais pode aumentar o risco de colelitíase e pode estar aumentada na gestação associada ao número de partos. Na obesidade, a incidência aumenta de 3 a 4 vezes, aparecendo também com frequência quando há um emagrecimento rápido”, diz.

Dessa forma, podem-se destacar alguns dos principais fatores/grupos de risco:

  • Predisposição genética;
  • Mulheres principalmente entre 45 e 55 anos;
  • Mulheres que tiveram múltiplas gestações;
  • Uso de anticoncepcionais orais;
  • Obesidade;
  • Emagrecimento rápido;
  • Idade avançada.

“Acompanhamento médico periódico com diagnóstico de fatores predisponentes é a melhor prevenção”, finaliza o especialista.

Então, lembre-se: caso tenha algum sintoma (como mal-estar, enjoo, dor de cabeça e dor no lado direito do abdômen) não hesite em procurar um médico. Mas, além disso, faça sempre exames de rotina, pois esta é uma das melhores maneiras de cuidar com atenção da sua saúde, evitando qualquer tipo de problema.

 
Criado em 23 Julho 2015

O uso unificado da "pílula do dia seguinte" para aids começa a valer a partir desta quinta-feira, 24. Com a publicação no Diário Oficial da União do novo protocolo de diretrizes terapêuticas, todas as pessoas que tiverem enfrentado uma situação de risco para o vírus HIV passam a ter acesso aos medicamentos antiaids em qualquer serviço especializado.
A profilaxia pós-exposição, como o tratamento é chamado, é indicado para todos que tiveram risco de contato com o vírus causador da aids. Isso pode acontecer tanto num acidente ocupacional, como médicos ou enfermeiros que tiveram contato com sangue de paciente, quanto com vítimas de violência sexual ou pessoas que tiveram relação sexual desprotegida. Para ter eficácia, no entanto, o tratamento, feito ao longo de 28 dias, tem de ter início no máximo até 72 horas após a exposição ao vírus. O ideal é que o ele seja iniciado nas primeiras duas horas após a exposição.
O objetivo da nova estratégia é facilitar o acesso e, principalmente, evitar a recusa de alguns serviços de fornecer a terapia, eficaz para prevenção da doença. "Antes da mudança, havia o entendimento incorreto de que um serviço especializado poderia atender apenas a um grupo determinado", afirmou o diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Fábio Mesquita.
Com isso, serviços que prestam atendimentos a vítimas de violência, por exemplo, alegavam que só poderiam fornecer remédios às mulheres ali atendidas. "A maior parte das recusas ocorria para pessoas que recorriam ao serviços depois de manter relações sexuais desprotegidas", completou Mesquita.
O Ministério da Saúde não tem estimativa de qual será o impacto da mudança. Para facilitar o acesso aos serviços, o Ministério vai lançar um aplicativo em dezembro com orientações sobre os postos mais próximos de distribuição. Além de centros de serviços especializados em DST-Aids, em algumas cidades antirretrovirais são fornecidos também em unidades de emergência. "Nos casos de serviços 24 horas, a distribuição de medicamentos não é feita para 28 dias. Os serviços dão o suficiente para três ou quatro dias de terapia e pedem que o paciente retorne, num segundo momento, para pegar o restante."
A terapia começou a ser ofertada no Sistema Único de Saúde nos anos 90, inicialmente para profissionais de saúde que tiveram contato com materiais contaminados ou sob risco de contaminação. Em 1998, a terapia foi estendida para vítimas de violência sexual e, em 2011, passou a ser ofertada também a todos os que tiveram uma relação sexual desprotegida.

 

 

Pagina 3 de 14

<< Iniciar < Ant 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próx > Fim >>