Criado em 14 Maio 2016

Cientistas da UFSCar (Universidade Federal de São Carlos) descobriram, através de pesquisas feitas em animais, um composto presente no gengibre capaz de inibir o crescimento do tumor primário de mama, e também evita metástase (migração por via sanguínea de vírus, bactérias e parasitas) para ossos, pulmão e cérebro. 

De acordo com a pesquisadora do Laboratório de Biologia do Envelhecimento da UFSCar Marcia Regina Cominetti "até o momento, sabemos que a molécula que estudamos age induzindo a morte celular programada, uma ação que se espera das moléculas antitumorais." 

Divulgação

 

É difícil desenvolver tratamentos específicos para o câncer pois ele é um conjunto com mais de cem doenças. As três opções mais usadas hoje em dia, para tratamento, são cirurgia para remoção do tumor, quimio e radioterapia. Entretanto, há tumores que não podem ser expostos a quimioterapia específica, como os chamados tumores de mama triplo negativos. 

O gengibre e o câncer 

Em países asiáticos, onde há uma dieta rica em gengibre, soja, cebola, tomate, pimentas e chá verde, os pesquisadores notaram menor risco de câncer entre os habitantes, quando comparado com países ocidentais. 

Além do gengibre, a vimblastina também é muito lembrada no tratamento natural do câncer. Ela é usada há mais de 50 anos no tratamento da leucemia e foi extraída da ilha de Madagascar, conhecida no Brasil como maria-sem-vergonha. 

Embora os gingeróis sejam conhecidos como produtos encontrados no gengibre, alguns podem ser isolados em quantidades extremamente pequenas. (Com informações do UOL)