Criado em 05 Outubro 2018

A chuva que caiu no início da tarde desta quinta-feira (4) causou alagamentos e transtornos em Londrina e região, principalmente em escolas e UBSs (Unidades Básicas de Saúde), conforme a Prefeitura de Londrina. Até por volta das 14h, a Defesa Civil havia sido informada de três árvores caídas e uma casa com destelhamento na zona sul da cidade. Nesta sexta-feira (5), o Município deve divulgar um balanço dos estragos causados devido à chuva, com dados da Secretaria Municipal do Ambiente e da Defesa Civil. 

A Secretaria Municipal de Educação identificou que 13 escolas tiveram problemas com o telhado ou forro, sete sofreram alagamento em alguns pontos, infiltrações ou vazamentos, e foram registradas três quedas de árvores ou galhos. Nas escolas e Centros Municipais de Educação Infantil que ficam nos distritos, até a noite desta quinta, não houve indício de prejuízos. 

A UBS do Conjunto Cafezal teve destelhamento em alguns pontos, e também alagamento. Por isso, foi necessário suspender os serviços. A equipe de manutenção da Secretaria Municipal de Saúde permanecerá na unidade, que ficou sem energia elétrica, para restabelecer o atendimento aos usuários nesta sexta-feira (5).

Também tiveram problemas com alagamentos ou queda de energia as UBSs do Pindorama, Chefe Newton, Mister Thomas, Milton Gavetti, Lindóia, Campos Verdes, Armindo Guazzi. Em todas elas, o atendimento funciona normalmente. A sede da SMS, localizada na Avenida Theodoro Victorelli, assim como a Diretoria de Vigilância em Saúde, que fica na Rua Attilio Octávio Bisatto, também ficaram sem energia elétrica. 

Lucio Flávio Cruz

 

Segundo o Simepar (Sistema Meteorológico do Paraná), neste início de tarde houve intensificação da instabilidade no norte do Paraná. Com o predomínio de sol durante a manhã, ocorreu rápida elevação das temperaturas e, como ainda há muita umidade na atmosfera, formaram-se as áreas de chuva. 

Em Londrina, a temperatura alcançou os 30°C. A chuva na cidade, apesar de isolada, foi forte, com acumulado de 26,8 mm (com registro de granizo) durante 15 minutos. Os ventos superaram os 90 km/h. 

No entanto, segundo dados divulgados pelo Iapar (Instituto Agronômico do Paraná), o índice pluviométrico foi de 18,8 milímetros, com granizo. Somada às fortes rajadas de ventos, as chuvas provocaram queda de árvores em diversos pontos da cidade, alguns alagamentos e, em algumas regiões, pedras de granizo. 

Energia 

A chuva forte também causou danos à rede elétrica, principalmente em decorrência da queda de galhos e árvores inteiras sobre a fiação. A cidade chegou a ter mais de 40 mil imóveis com o fornecimento de energia interrompido, principalmente nas regiões Leste e Sul. Até as 18h, nove mil domicílios permaneciam sem luz e as equipes da Copel seguiam em campo para prestar manutenção à rede e normalizar os serviços. 

Em Ibiporã o número de ocorrências também é significativo. A cidade chegou a ter 17 mil imóveis sem energia logo após a passagem do temporal. No final da tarde, eram dois mil domicílios sem luz. Em toda a região, são 110 equipes em campo para recomposição do sistema elétrico.

O telefone da Copel é o 0800 51 00 116, e o contato pode ser feito também por celular, através do aplicativo gratuito Copel Mobile. Para informar falta de luz, é possível ainda enviar um SMS gratuito. Basta digitar as letras SL e o nmero da unidade consumidora, e mandar a mensagem para o nmero 28593. 

Bonde