Criado em 02 Maio 2019

Homem foi indiciado por cárcere privado qualificado e ameaça. Menino foi mantido refém por 17 horas, em Curitiba.

O pai que manteve o filho refém por 17 horas em Curitiba vai passar por exames de insanidade mental para verificar a saúde mental do do homem, segundo informações da defesa dele.

O exame foi pedido pelo advogado do pai do menino e a Justiça autorizou nesta quarta-feira (1º) a realização do teste. Segundo a defesa, o exame vai apontar a saúde mental do homem e se ele tinha a exata noção do que fez no sábado (27).

O caso corre em segredo de justiça e a data do exame não foi informada.

Segundo a polícia, o pai se trancou dentro de casa, no bairro Santa Cândida, com o filho de três anos após uma briga de casal com a esposa. Ele se entregou após 17 horas, depois de negociações com a polícia.

A negociação foi realizada por policiais do Comando de Operações Especiais (COE) e do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope).

O homem foi indiciado pela Polícia Civil do Paraná nesta quarta-feira pelos crimes de cárcere privado qualificado e ameaça.

O caso, que foi investigado pelo Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria), agora será encaminhado para o Ministério Público, que vai avaliar se oferece denúncia contra ele. O homem continua preso.

 

Suspeita de envenenamento

 

A defesa do pai da criança afirmou que exames laboratoriais vão mostrar que a suspeita de que o homem envenenou o filho são infundadas.

A suspeita surgiu quando a criança foi internada com crises de vômito um dia após o caso.

A criança teve alta na terça-feira (30), após uma bateria de exames.

 
Pai se entregou com o filho no colo após 17 horas de negociações em Curitiba — Foto: Reprodução/RPCPai se entregou com o filho no colo após 17 horas de negociações em Curitiba — Foto: Reprodução/RPC

Pai se entregou com o filho no colo após 17 horas de negociações em Curitiba — Foto: Reprodução/RPC