Criado em 31 Outubro 2017

A Prefeitura de Cambará, no norte do Paraná, decretou situação de emergência na cidade por causa das enxurradas que causaram estragos na região nos últimos dias. Mais de 500 pessoas foram prejudicadas pelos temporais na cidade, sendo que 25 estão desabrigadas. Além disso, 160 residências tiveram algum tipo de estrago.

O decreto foi publicado no Diário Oficial do Município nesta terça-feira (31) e é o primeiro passo para que Cambará possa receber recursos do Governo Federal para a recuperação dos danos causados pelas chuvas, segundo a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil.

O documento autoriza a convocação de voluntários para reforçar as ações de resposta ao desastre e realização de campanhas de arrecadação de recursos com a comunidade para facilitar ações de assistência social junto à população atingida.

Entre as determinações do decreto, também está a dispensa de licitação para a compra de bens para as atividades de recuperação, de prestação de serviços e de obras relacionadas aos estragos causados pelas enxurradas.

As chuvas fortes que atingiram a cidade desde domingo (29) chegaram ao acumulado de mais de 100 milímetros, fazendo com que o Rio Alambri subisse seis metros acima do seu nível normal, ainda conforme o decreto.

Segundo o tenente Angelino José de Siqueira, comandante do Corpo de Bombeiros de Jacarezinho – unidade responsável por atender a região – na segunda-feira (30) a água chegou a ultrapassar 1,5 metro em algumas casas da cidade, sendo que em um número menor de residências alcançou o telhado.

Uma mulher de 59 anos morreu após passar mal, por volta das 6h de segunda-feira (30), quando a casa em que ela morava começou a alagar. Ela chegou a ser atendida, mas morreu no hospital, conforme Siqueira.

O comandante explicou que, em casos como esse, a chuva é considerada a causa indireta da morte e, por isso, não entra no levantamento de mortes causadas pela chuva encaminhado à Defesa Civil do Estado.

 

Entre as ocorrências registradas na cidade devido às chuvas, também está a interdição de pontes e a falta de água. O abastecimento de água chegou a ser comprometido na segunda, mas foi restabelecido gradativamente e foi normalizado nesta terça, ainda segundo o tenente.

Duas pontes foram interditadas na área urbana de Cambará e devem passar por uma avaliação, conforme explicou Siqueira. Ainda não há um balanço dos estragos causados pelas chuvas na zona rural do município.

O tenente disse que a solidariedade chegou rápido à cidade. “A ajuda voluntária foi extremamente rápida e tem muita gente ajudando. Estamos recebendo doações de roupas, de alimentos e de material de limpeza”, declarou.

Nesta terça, a Defesa Civil Estadual vai distribuir kits com alimentos, material de higiene e colchões e cobertores para as famílias prejudicadas.

Números da chuva

A chuva atinge o estado desde sexta-feira (27). De acordo com o último boletim divulgado pela Defesa Civil Estadual, às 7h45 desta terça (31), 4.752 pessoas tiveram prejuízos em 40 municípios do estado.

A maior parte das ocorrências, conforme o boletim, foi registrada por causa de alagamentos, enxurradas e destelhamentos por causa do vento forte.

O município mais atingido foi Santa Cruz de Monte Castelo, na região noroeste, onde 2 mil moradores foram atingidos.

Em todo o estado, 103 ficaram desalojadas por causa dos temporaias. Destas, 32 estão em abrigos provisórios. Mais de 320 casas foram danificadas, e uma adolescente de 15 anos morreu afogada no fim da tarde de domingo (29) em Cascavel depois de ser arrastada por uma enxurrada.

Estrada bloqueada

A chuva forte que atingiu a região causou causou alagamentos e interdições em trechos de várias rodovias da região. A PR-475, em Quedas do Iguaçu, por exemplo, permanecia totalmente interditada até a última atualização desta reportagem. A previsão da PRE é que a liberação ocorra até o fim desta terça-feira (31).

Tempo bom a partir desta terça

As chuvas devem diminuir nesta terça em boa parte do Paraná, segundo o Instituto Meteorológico Simepar. Entre o litoral, cidades da região metropolitana e parte dos Campos Gerais, além do norte pioneiro, ainda há risco de chuvas localizadas, principalmente a partir do período da tarde, de acordo com os meteorologistas.