Criado em 20 Junho 2018

Conforme a Secretaria de Estado da Administração e da Previdência do Paraná (Seap), o professor estava afastado das funções profissionais desde 4 de maio e recebeu licença de 60 dias.

A coordenação de segurança e saúde ocupacional da Secretaria de Estado da Administração e da Previdência do Paraná (Seap) investiga o caso de um professor da rede estadual que viajou para a Rússia para acompanhar os jogos da Copa do Mundo durante licença médica.

De acordo com a Seap, Norberto Pilon estava afastado das funções profissionais desde 4 de maio, após receber licença de 60 dias. A necessidade da investigação se deu após uma análise preliminar de que uma viagem desse tipo exige organização antecipada para compra das passagens e dos ingressos para o jogo, argumentou a Seap.

Os motivos do afastamento foram mantidos em sigilo pela secretaria, que afirmou também que Pilon será ouvido pela junta médica para justificar o ocorrido. "O objetivo da reavaliação é o da manutenção, ou cassação, do feito conforme o que se apresentar tecnicamente à Junta Médica", ressaltou a Seap.

A Secretaria de Administração informou ainda que é dever da coordenadoria de segurança e saúde ocupacional avaliar todos os casos em que há requerimento solicitado pelo servidor a partir de um atestado médico que embasa uma possibilidade de concessão de benefício.

Até a última atualização desta reportagem, o G1 não conseguiu contato com Norberto Pilon.