Criado em 26 Junho 2018

Estão abertas as inscrições para o programa "Jovem Aprendiz" dos Correios. São 4.983 vagas abertas em todo país, além de formação de cadastro de reserva.

Quem passar pela seleção vai receber salário de R$ 448,46, vale transporte e vale refeição ou alimentação. As inscrições podem ser feitas online até o dia 28 de junho. Veja como se inscrever.

Blog do Chaguinhas 

 

 
Criado em 26 Junho 2018

Termina no dia 30 de junho o prazo para o alistamento militar obrigatório. Os cidadãos do sexo masculino que completam 18 anos em 2018, ou seja, nascidos em 2000, devem se alistar pelo sistema eletrônico do Exército Brasileiro, no site www.alistamento.eb.mil.br, até a meia-noite do último dia de junho. Em Londrina, aqueles jovens que não possuírem acesso à internet ou tiverem problemas em acessar o endereço, também podem comparecer à sede da Junta Militar, que fica no Terminal Rodoviário, sala 42. O funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 9 às 15 horas, e o contato pode ser feito pelo telefone (43) 3356-4794. 

No sistema online, o cadastro pode ser efetuado rapidamente com o número do Cadastro de Pessoa Física (CPF) e um endereço de e-mailativo. O direcionamento para o preenchimento dos dados pessoais é integrado ao portal Brasil Cidadão, do Governo Federal. 

De acordo com o secretário da Junta de Serviço Militar de Londrina, Fernando Cesar de Paula, uma média de 4 mil a 4.500 jovens se alistam por ano no município, sendo que 160 pessoas são convocadas para ingressar no serviço militar e compor as turmas do Tiro de Guerra.

 
 



O secretário frisou que o alistamento no prazo correto é importante, pois, caso contrário, o cidadão não consegue obter seu certificado de reservista, além de ser obrigado a se alistar novamente no ano seguinte. "O documento de reservista é indispensável e sem ele não é possível fazer passaporte e título de eleitor. Neste caso, também fica vetada a participação em concursos públicos e o acesso a empregos formais, que exigem o certificado", informou. 

Após o encerramento do prazo de alistamento, em julho e agosto são enviados os informes aos inscritos pelo e-mail cadastrado, com as datas para comparecimento ao Tiro de Guerra, onde são realizadas as etapas de entrevistas e exames médicos. Estes procedimentos serão feitos do dia 10 a 21 de setembro. 

Quem perder o prazo de alistamento em 2018 ou já estiver em débito com o serviço militar nos anos anteriores, precisa comparecer à Junta Militar de Londrina para regularizar sua situação. Para isso, será emitida uma guia de multa para a cobrança da taxa de alistamento e os jovens nesta situação deverão fazer o alistamento para participar da seleção do próximo ano.

 

Bonde

 

 

 

 
Criado em 20 Junho 2018

Porcentagem será aplicada a residências e foi definida nesta terça-feira (19) pela Aneel.

Os consumidores residenciais paranaenses atendidos pela Companhia Paranaense de Energia (Copel) terão um aumento de 15,06% na conta de luz a partir de 24 de junho, segundo a empresa.

Essa porcentagem foi definida nesta terça-feira (19) pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

De acordo com a Copel, que fornece energia para mais de 4,5 milhões de unidades consumidoras no estado, atualmente, o gasto médio residencial por mês é de 170 kWh, que chega ao valor de R$ 126, incluindo a tarifa da bandeira vermelha.

O reajuste vai deixar a conta média R$ 17 mais cara, passando para R$ 143. A bandeira tarifária não sofre reajuste.

Ainda conforme a companhia, as famílias de baixa renda continuam contando com a isenção de tarifa para o consumo de até 120 kWh por mês.

Para os consumidores do setor industrial o reajuste será de 17,55%. Com isso, a média de reajuste na conta de energia ficou em 15,99%.

Segundo a Copel, do total do aumento definido pela Aneel, apenas 0,31% corresponde ao custo operacional da empresa.

“Grande parte do aumento é consequência dos preços dos contratos de compra de energia, ajustados pela inflação e agravados pela falta de chuvas nos últimos anos. Além disso, o aumento do encargo da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), fundo gerido pelo governo federal, também pesou neste aumento”, diz nota da companhia.

G1

 

 
 
 
Criado em 20 Junho 2018

Conforme a Secretaria de Estado da Administração e da Previdência do Paraná (Seap), o professor estava afastado das funções profissionais desde 4 de maio e recebeu licença de 60 dias.

A coordenação de segurança e saúde ocupacional da Secretaria de Estado da Administração e da Previdência do Paraná (Seap) investiga o caso de um professor da rede estadual que viajou para a Rússia para acompanhar os jogos da Copa do Mundo durante licença médica.

De acordo com a Seap, Norberto Pilon estava afastado das funções profissionais desde 4 de maio, após receber licença de 60 dias. A necessidade da investigação se deu após uma análise preliminar de que uma viagem desse tipo exige organização antecipada para compra das passagens e dos ingressos para o jogo, argumentou a Seap.

Os motivos do afastamento foram mantidos em sigilo pela secretaria, que afirmou também que Pilon será ouvido pela junta médica para justificar o ocorrido. "O objetivo da reavaliação é o da manutenção, ou cassação, do feito conforme o que se apresentar tecnicamente à Junta Médica", ressaltou a Seap.

A Secretaria de Administração informou ainda que é dever da coordenadoria de segurança e saúde ocupacional avaliar todos os casos em que há requerimento solicitado pelo servidor a partir de um atestado médico que embasa uma possibilidade de concessão de benefício.

Até a última atualização desta reportagem, o G1 não conseguiu contato com Norberto Pilon.

 

 

 
Criado em 06 Junho 2018

Além de retirar benefícios fiscais de diversos setores e de usar reservas orçamentárias, o governo cortou verbas de programas sociais e de políticas públicas para bancar o custo total de R$ 13,5 bilhões das medidas que atendem às reivindicações dos caminhoneiros

Para acabar com a greve dos caminhoneiros e bancar o custo total de R$ 13,5 bilhões das ações que atendem às reivindicações da categoria, o governo adotou uma série de medidas que vão impactar a população. Além de retirar benefícios fiscais de diversos setores produtivos e usar reservas orçamentárias, o governo cortou verbas de programas sociais e políticas públicas. Algumas das áreas afetadas são consideradas essenciais, como saúde, educação, saneamento básico, rodovias e segurança.

As reivindicações dos caminhoneiros vão custar R$ 13,5 bilhões aos cofres públicos. Esse montante será custeado pelo uso de reservas orçamentárias, retirada benefícios fiscais e corte de despesas. Serão R$ 4,01 bilhões vindos da redução ou exclusão de programas de incentivos fiscais a empresas, R$ 8,28 bilhões de reservas orçamentárias e de capitalização de estatais e R$ 1,21 bilhão de corte de despesas, o que atinge programas sociais e políticas públicas.

 

Em relação ao corte de despesas, o secretário executivo do Ministério do Planejamento, Gleisson Rubin, afirmou que as verbas já estavam bloqueadas pelo Orçamento. Só que, antes dos decretos que atenderam às reivindicações dos caminhoneiros, essas verbas poderiam ser desbloqueadas e usadas até o fim do ano. Agora, não poderão mais.

“O cancelamento de recursos vai se dar em cima de recursos contingenciados. Dessa forma, perde-se a perspectiva de que os recursos possam voltar a ser utilizados”, afirmou Rubin. O secretário executivo também disse que o cancelamento das despesas afeta todos os órgãos do governo, de forma pulverizada.

Confira algumas das medidas adotadas pelo governo para acabar com a greve dos caminhoneiros que devem impactar a população:

Saúde

A área da saúde é uma das afetadas pelo corte de despesas. O Sistema Único de Saúde (SUS) vai deixar de receber R$ 135 milhões neste ano, dinheiro que poderia ser usado para o fortalecimento do sistema.

Entre os programas relacionados ao SUS afetados pelo corte de despesa estão: reestruturação dos serviços ambulatoriais e hospitalares prestados por hospitais universitários federais; operacionalização do Sistema Nacional de Transplantes; manutenção e funcionamento do Farmácia Popular do Brasil, implementação do Mais Médicos; apoio à manutenção de Unidades de Saúde; estruturação de Unidades de Atenção Especializada em Saúde; e pesquisas em novas tecnologias para o SUS.

Educação

Na área de educação, o corte é de R$ 55,1 milhões. O governo cancelou a concessão de bolsas no âmbito do Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento das Instituições de Ensino Superior (Proies). A medida vale para este ano. Esse programa foi criado em 2012 e concede, através de entidades mantenedoras de instituições de ensino superior, bolsas integrais em cursos de graduação presenciais reconhecidos pelo Ministério da Educação.

Rodovias

Parte do dinheiro que poderia ser usado para a construção de rodovias até o fim deste ano também foi contingenciado. O governou cortou R$ 370 milhões em programas do Ministério dos Transportes. Esse valor seria usado em 40 obras de construção e adequação de rodovias em diversas regiões do país.

 
 
Error loading player:
Network error

Algumas das obras afetadas são a construção da ferrovia Transcontinental, entre Sapezal (MT) e Porto Velho (RO), a adequação do trecho que dá acesso ao Parque Nacional do Iguaçu, o entroncamento da BR-116, na altura de Montes Claros (MG), a construção de pontes sobre os rios Juruá (AC) e Perdido (TO) e a construção de contornos rodoviários em Rio Verde (GO), Maringá (PR) e Campo Mourão (PR). Somente no estado do Paraná serão afetadas quatro obras.

Segurança

Até a área de segurança entrou no corte de despesas. Apesar de os caminhoneiros reivindicarem mais segurança nas estradas, o governo cortou R$ 1,5 milhão previsto para o policiamento ostensivo nas rodovias e estradas federais.

Já a Força Nacional de Segurança Pública também vai sofrer um contingenciamento de R$ 1,9 milhão. Até a construção de duas delegacias, uma em Juiz de Fora (MG) e outra em São José do Rio Preto (SP), e a construção do Comando de Operações Táticas da Polícia Federal no Distrito Federal tiveram a verba cancelada para atender às reivindicações dos caminhoneiros.

Saneamento básico

A área de saneamento básico vai ter um corte de R$ 6,36 milhões. Foram cancelados os recursos previstos para programas de prevenção e controle de doenças, ações de saneamento básico em pequenas comunidades rurais, melhorias de sistemas públicos de manejo de resíduos sólidos em municípios de até 50 mil habitantes e construção e adequação de sistemas de abastecimento de água e redes de coleta de esgoto sanitário em comunidades ribeirinhas.

Área rural

Na área rural, o impacto deve chegar a R$ 42 milhões. Somente o programa de reforma agrária e governança fundiária, que prevê, entre outras coisas, o desenvolvimento de assentamentos rurais, vai ter um contingenciamento de R$ 30,8 milhões. Outras ações como assistência técnica para a agricultura familiar e o produtor rural, implementação da defesa agropecuária e desenvolvimento de pesquisas e inovações para o setor também foram afetados.

Programas sociais

Algumas políticas públicas foram prejudicadas para atender a greve dos caminhoneiros. A Política Nacional de Justiça, a Política Pública sobre Drogas e os programas de proteção e defesa do consumidor, combate ao tráfico de drogas e apoio a pessoas e famílias com problemas com álcool e drogas estão entre os que tiveram corte de verba.

Redução de subsídios

A redução de subsídios pode impactar indiretamente o consumidor. O governo federal, para conseguir levantar R$ 4,01 bilhões, reduziu ou excluiu programas de incentivos fiscais a empresas. Entre os programas que foram encerrados estão o Reiq, que permitia que a indústria química gerasse créditos para abater em outros impostos quando importasse e pagasse PIS/Cofins, e o Reintegra, que devolvia parte dos tributos pagos por exportadores de produtos industrializados. O governo também reduziu o crédito usado pela indústria de refrigerante para abater ou descontar os impostos devidos e tirou de 39 setores o benefício da desoneração da folha de pagamento.

Na prática, os setores afetados terão de pagar mais impostos. E essa conta pode acabar nas mãos do consumidor, já que muitos deles devem repassar o aumento de custo para seus produtos e serviços.

Tabelamento de frete

Outra medida que pode impactar indiretamente o consumidor é o tabelamento do frete. O governo criou na semana passada a Política de Preços Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas, em que a Agência Nacional de Transportes vai divulgar tabelas com preços mínimos de frete para cada quilômetro rodado. Essa foi uma das principais reivindicações dos caminhoneiros.

A medida também pode impactar indiretamente o consumidor, pois, ao estabelecer um preço mínimo, isso pode encarecer o frete e o custo adicional ser repassado pelas transportadoras às empresas que, consequentemente, podem repassar ao preço do produto. Mas, como a fiscalização da medida ainda é uma incógnita, o tabelamento do frete pode não funcionar na prática – e até criar uma espécie de mercado paralelo.

Gazeta do Povo

 
Criado em 06 Junho 2018

Miss Pinhais 2016 – acusada de planejar com o namorado, um policial militar, o sequestro de um empresário no Paraná em agosto de 2017 – é considerada foragida.

A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) nesta quarta-feira (6).

De acordo com a Sesp, Karina Cristina rompeu a tornozoleira eletrônica no sábado (2). O equipamento, conforme a pasta, foi monitorado até o dia seguinte, quando parou de funcionar.

Na segunda-feira (4), o soldado da Polícia Militar (PM) Janerson Gregorio, que é o namorado de Karina Cristina, fugiu do Batalhão de Polícia de Guarda em Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba. Ele estava preso desde agosto.

Por meio de nota, a PM informou que está fazendo buscas para localizar o soldado e que um inquérito vai ser aberto para apurar como ocorreu a fuga e se houve facilitação.

Procurado pelo G1, o advogado Adriano Ueda, que defende os dois, disse que por enquanto prefere não se manifestar sobre o caso.

Além do soldado, outras três pessoas tinham sido presas, ainda em agosto, pelo envolvimento no crime, entre elas, Karina Cristina. Contudo, ela deixou a prisão em outubro e cumpria medidas cautelares, com o uso da tornozeleira eletrônica.

Eles respondem por crimes como sequestro e roubo.

 

Mandado de recaptura

 

A 2ª Vara Criminal de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana da capital paranaense, expediu na terça-feira (5) um mandado de recaptura contra Janerson Gregorio.

O juiz Siderlei Ostrufka Cordeiro também pediu para o Ministério Público do Paraná (MP-PR) se manifestar sobre o rompimento da tornozeleira eletrônica de Karina Cristina.

Relembre o caso

 

O policial militar foi preso em flagrante, na noite de 29 de agosto, no bairro Jardim Botânico, em Curitiba, suspeito do sequestro e extorsão.

Os sequestradores combinaram com o empresário uma reunião de trabalho, quando ele foi rendido. "Eles colocaram a arma na minha cara, me tiraram do carro e me colocaram num outro carro e me levaram até o cativeiro", disse a vítima, à época.

Os sequestradores pediram à família do empresário dinheiro. Então, os parentes procuraram o Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial (Tigre), da Polícia Civil.

A prisão foi realizada durante uma investigação da Polícia Civil, enquanto o veículo do empresário era vigiado. O soldado foi preso no momento em que estava pegando o carro da vítima, estacionado em uma rua.

"Além de cometer o sequestro, ele roubou o carro da vítima. E quando ele foi buscar esse carro, nós conseguimos efetivamente prender um dos sequestradores", afirmou – ainda à época – o delegado Luis Fernando Artigas Júnior.

G1

 
Criado em 29 Maio 2018

Para evitar possível alta abusiva nos preços de produtos nos supermercados paranaenses, em função da paralisação dos caminhoneiros, o MP (Ministério Público) do Paraná, em parceria com o Procon-PR (Departamento Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor), expediu recomendação às empresas vinculadas à Associação Paranaense de Supermercados (Apras). No documento, o MPPR e o Procon recomendam que produtos essenciais – como feijão, arroz, óleo de soja, macarrão, açúcar, café, farinha de trigo e mandioca, fubá, ovos, molho de tomate, biscoitos e leite – sejam comercializados pelos mesmos preços praticados antes da greve. 

A recomendação, expedida nesta terça-feira (29), estipula também que eventuais limitações quantitativas ou qualitativas desses produtos sejam praticadas com "parcimônia e critérios prévia e amplamente divulgados, pelos meios necessários a este fim e conforme o estoque disponível em cada estabelecimento, a serem admitidos pelos órgãos de proteção e defesa ao consumidor, sem configurar prática abusiva". Acrescenta ainda que tal limitação se faça com o fim maior de garantir o equilíbrio e a harmonia social, de modo a garantir o atendimento ao maior número de consumidores, até que o abastecimento dos produtos e prestação de serviços se normalize, bem como coibir acompra de provisionamento feita pelos consumidores. 

Na recomendação, os dois órgãos pontuam ainda que "a cobrança de valores abusivos em relação a alguns produtos por parte do comércio varejista, conforme relatos realizados por consumidores e pela imprensa, pode caracterizar, também, crime contra as relações de consumo, passível sanção administrativa e pena."

Bonde

 
Criado em 29 Maio 2018

m carro com mais de R$ 88 milhões em débitos foi apreendido pelo Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran) em Curitiba, na tarde desta terça-feira (29), segundo a Polícia Militar (PM).

O valor se refere a 4,7 mil notificações, entre multas por radares, dívida por IPVA e licenciamento, diz a polícia. O motorista, cuja habilitação estava regular, foi liberado no local.

Segundo o comandante de Policiamento de Unidade (CPU) do dia, tenente Zaqueu Rodrigo Kozow Meireles, o veículo foi localizado depois de uma denúncia e pertence a uma empresa de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná.

“Realmente é um valor astronômico, nós nunca vimos um veículo com um débito tão alto de notificações”, comentou.

Como o carro é registrado por pessoa jurídica, a cobrança é diferente. “A notificação vai para a empresa e, como não é identificado o condutor, esse valor vai sendo multiplicado de forma geométrica”, explica o tenente.

O veículo foi encaminhado ao pátio do Detran, em Curitiba.

G1

 

 
Criado em 27 Maio 2018

A greve dos caminhoneiros no Paraná chegou, neste domingo (27), ao 7º dia. A paralisação ocorre em todo o país. Eles protestam contra o aumento do preço do diesel.

Cidades estão sem combustível, aulas foram suspensas e há relatos de falta de alimentos. Acompanhe em Tempo Real os reflexos da greve no estado.

Até o fim desta manhã, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Polícia Rodoviária Estadual (PRE) não tinham divulgado o número de protestos que são realizados nas estradas do Paraná. Até a noite de sábado (26), eram cerca de 250.

Desde o início da greve nacional dos caminhoneiros, na segunda-feira (21), 324 mil toneladas de produtos deixaram de ser descarregadas no Porto de Paranaguá, no litoral do estado, de acordo com a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa).

Proposta de congelamento do preço do diesel por 60 dias

 

Na noite de sábado, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, disse que vai levar para o presidente Michel Temer novas propostas para tentar encerrar o movimento dos caminhoneiros.

Entre as propostas que serão levadas para Brasília, Marun destacou a garantia de que o desconto de 10% no valor do diesel vai chegar na bomba de forma efetiva, a possibilidade de que a manutenção do preço seja ampliada de 30 para 60 dias e o fim da suspensão da cobrança de tarifa de pedágio para eixo elevado dos caminhões para todo o Brasil.

G1

 

 
Criado em 27 Maio 2018

Desde o início da greve nacional dos caminhoneiros, na segunda-feira (21), 324 mil toneladas de produtos deixaram de ser descarregadas no Porto de Paranaguá, no litoral do estado, de acordo com a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) neste domingo (27).

A quantidade representa cerca de 9 mil caminhões. Estão sendo afetadas as operações de granéis vegetais, líquidos, fertilizantes, entre outros produtos.

O embarque de navios de soja, segundo a Appa, não teve impacto até o momento devido aos estoques nos terminais. Porém, dois navios de farelo foram afetados, totalizando 120 mil toneladas, conforme a administração.

Outros dois navios de açúcar ensacado não puderam ser embarcados - representando 12,5 mil toneladas -, informou a Appa.

Na movimentação de fertilizantes e cereais, o porto não tem descarregado, em média, 20 mil toneladas por dia, segundo a administração.

Ainda de acordo com a Appa, foram 21 mil toneladas de granéis líquidos que deixaram de ser desembarcadas.

 

Pagina 1 de 6

<< Iniciar < Ant 1 2 3 4 5 6 Próx > Fim >>